Lançado na Europa em dezembro do ano passado, o Lamborghini Urus está à venda no Brasil pela importadora independente Direct Imports. De acordo com a empresa sediada em São Paulo, o SUV esportivo pode ser encomendado por R$ 1,7 milhão (com todas as taxas inclusas) e tem entrega prevista para o último trimestre de 2018. Na revenda oficial da Lamborghini na capital paulista, a única no país, o Urus custa a partir de R$ 2,1 milhões.

“A Direct Imports tem três posições de reserva, sendo que uma já está confirmada. Seremos os primeiros a trazer ao Brasil uma unidade do Lamborghini Urus, que será a sensação do mercado de luxo este ano”, afirma Daniel Valerio, CEO da Direct Imports.

O Urus compartilha a plataforma modular MLB e diversos componentes com outros SUVs do Grupo Volkswagen (dono da Lamborghini), como Audi Q7, Bentley Bentayga, Porsche Cayenne e a nova geração do Volkswagen Touareg. O Urus mede 5,11 metros de comprimento por 2,01 m de largura, 1,63 m de altura e 3,03 m de distância entre-eixos. O porta-malas tem capacidade para 616 litros.

O SUV de 2,2 toneladas leva sob o capô o motor 4.0 V8 biturbo a gasolina utilizado pela Audi na perua RS6 Avant. No Urus, o propulsor foi recalibrado para gerar 650 cv de potência e brutais 86,6 kgfm de torque. Segundo a Lamborghini, o utilitário esportivo acelera de 0 a 100 km/h em apenas 3.6 segundos e atinge a velocidade máxima de 305 km/h. Uma variante híbrida plug-in será lançada futuramente.

Para gerenciar toda essa força do motorzão biturbo, a Lamborghini adotou uma transmissão automática de oito marchas e um sistema de tração integral, que distribui 60% do torque para as rodas traseiras. Mas essa distribuição de força pode variar de acordo com a demanda (controlada pelos modos de condução), podendo variar de 70% para o eixo dianteiro ou até 87% para as rodas de trás.

A tocada do SUV pode ser configurada de acordo com o terreno ou tipo de uso, selecionando um dos sete modos de condução. Strada, Sport e Corsa (corrida) otimizam o desempenho, ajustando os parâmetros do motor, câmbio e chassi para pistas. Já os modos Neve, Terra e Sabbia (areia) ajustam a tração integral e elevam a suspensão para rodar em pisos acidentados e de baixa aderência. Há ainda a função Ego, que pode ser configurada pelo condutor.

Para favorecer a dinâmica em condições de pista, o Urus herdou do Aventador o eixo traseiro esterçante em até 3 graus, que garante maior precisão e estabilidade em curvas e altas velocidades.

Fotos: Divulgação