Após um meticuloso processo de restauração que durou três anos para ser finalizado, o exemplar mais antigo do Porsche 911 é exposto no museu da marca em Stuttgart, na  Alemanha. O cupê vermelho fabricado em 1964 foi a 57ª unidade feita pela Porsche ainda com o nome 901, mudado pouco depois para 911 após um desentendimento com a Peugeot.

Supostamente incomodada com o sucesso do 911 no Salão de Paris de 1964, a marca francesa alegou que a designação de três numerais com um zero no meio não poderia ser usada por outra fabricante.

O 911 foi descoberto em estado deplorável em um celeiro durante a gravação de um programa de TV alemão dedicado a antiguidades. A equipe da emissora entrou em contato com o Museu da Porsche para levantar informações a respeito do carro de chassi número 300.057, revelando a raridade do modelo.

Para trazer o cupê de volta ao seu estado original, especialistas da Porsche iniciaram a restauração com peças genuínas, incluindo partes da carroceria e peças do motor e câmbio e de acabamento interno. O resultado pode ser visto ao vivo no museu da marca ou na galeria de fotos acima.

Fotos: Divulgação