Justiça dos EUA condena ex-executivo da VW a sete anos de prisão

O ex-executivo da Volkswagen, Oliver Schmidt, 48 anos, gerente responsável pelo departamento de engenharia e meio ambiente em Michigan, nos Estados Unidos, foi condenado nesta quarta-feira (7) pelo tribunal norte-americano a sete anos de prisão.

O executivo foi considerado culpado por estar envolvido no escândalo conhecido como “dieselgate”, que ocultava um software utilizado para fraudar os limites de emissão de poluentes de carros diesel da marca alemã. Dos 11 milhões de veículos em todo o mundo que a Volkswagen assumiu estarem envolvidos no dieselgate, cerca de 600 mil estão no mercado norte-americano.

Ex-executivo da VW, Oliver Schmidt foi condenado a sete anos de prisão nesta quarta-feira (7)

Junto com a sentença, Oscar Schimidt recebeu do juiz federal Sean Cox, de Detroit, uma multa de US$ 400 mil (cerca de R$ 1,2 milhão em uma conversão direta). Schmidt é o funcionário de mais alto nível relacionado ao escândalo do “dieselgate” nos EUA.

Curiosamente, Oliver Schmidt também é o nome de outro funcionário alemão da Volkswagen que acaba de assumir a posição de Vice-Presidente de Finanças da Volkswagen para a Região América do Sul (SAM) e Brasil. O executivo será responsável pela gestão do aporte de R$ 7 bilhões que a marca investirá no País até 2020.

Oliver Schmidt, novo Vice-Presidente de Finanças para a América do Sul e Brasil

Imagens: Divulgação

Redação: