A importadora independente Toys For Boys, de São Paulo, anunciou que venderá o Dodge Challenger SRT Demon no Brasil em 2018. O poderoso muscle car custará R$ 890 mil já contando com a baixa de 30% sobre o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para veículos importados, que deixará de ser cobrado no final deste ano. Mas o preço poderá variar de acordo com a tributação de cada estado brasileiro.

Nos Estados Unidos, o Challenger SRT Demon tem preço inicial de US$ 84.995, o equivalente a R$ 275.600 em conversão simples.

Desenvolvido para provas de arrancada, o Challenger SRT Demon é equipado com o motorzão 6.2 V8 sobrealimentado com compressor mecânico, que na versão SRT Hellcat rende até 717 cv de potência. O propulsor sofreu alterações para gerar brutais 852 cv e 106,4 kgfm de torque.

Pelo fato de o motor contar com um sistema que permite o uso de gasolina de alta octanagem (mais apropriada para competições), a Dodge pede para os compradores assinar um termo de responsabilidade que recomenda o abastecimento do carro apenas com os combustíveis indicados pelo fabricante, além de precauções de segurança.

De acordo com a marca, o Challenger SRT Demon acelera de 0 a 100 km/h em 2,3 segundos, tempo que o torna o mais rápido carro de produção em série nesse tipo de prova. O esportivo atinge os 160 km/h em 5,1 segundos e percorre o quarto de milha (400 metros), partindo da imobilidade, em 9,65 segundos.

Embora seja um carro criado para competições, o Challenger SRT Demon foi tecnicamente banido das pistas pela entidade que regula essas provas nos Estados Unidos. Segundo a NHRA (National Hot Rod Association), carros de produção que percorrem o quarto de milha em menos de 9,99 segundos e acima dos 217 km/h são obrigados a instalar a gaiola de proteção para o piloto, homologada pelo órgão que regulamenta equipamentos de segurança para carros de corrida naquele país. Para participar de competições, o SRT Demon tem de ser equipado com o item logo após sair da concessionária.Para dar conta de tanta potência, o carro ganhou a maior entrada de ar em um capô de carro de produção, além de um sistema de ar-condicionado dedicado ao motor. Para alcançar números tão expressivos, o Challenger Demon sofreu uma dieta de 90 kg, que consistiu na retirada dos bancos do passageiro e traseiro e dos 16 alto-falantes do sistema de som, além do uso de peças em alumínio na suspensão.

Fotos: Divulgação