O Brasil já é líder mundial quando o assunto é carro blindado – são mais de 160 mil veículos na frota, de acordo com a Associação Brasileira de Blindagem. Esse tipo de proteção está se tornado cada vez mais uma alternativa frente ao crescimento da violência urbana no país.

Já falamos aqui no Carsale que com o desenvolvimento de novas tecnologias que favorecem a blindagem em carros menores, se tornou comum realizar a proteção em modelos compactos (e baratos). Também demos dicas para quem pretende comprar um seminovo blindado.

Desta vez, o assunto envolve os mitos e verdades a respeito da blindagem veicular. Confira as quatro dicas abaixo e saiba o que é verdade.

1 – A blindagem veicular não delamina, o que delamina é o vidro apenas.

Mito – a blindagem também delamina, como nos vidros, porém, por estar por baixo da carroceria, não é fácil de ver. Para identificar, é necessário abrir o carro e confirmar a delaminação. É importante lembrar que as mantas balísticas são formadas por tecidos de fios de aramida, ou seja, como qualquer tecido pode deteriorar com o tempo e, com isso perder suas propriedades balísticas. Uma dica para desconfiar que a blindagem está sofrendo de delaminação é verificar se o carro possui um odor de mofo persistente, mesmo após as lavagens. O ideal é solicitar para ver a manta, abrindo o acabamento das portas dos veículos. Vale ressaltar que coletes a prova de bala, que são feitos com as mesmas fibras, têm validade de dois anos.

2 – Comprar um carro usado já blindado é mais vantajoso.

Mito – Depende da qualidade da blindagem. A blindagem tem uma garantia por prazo determinado pelo fabricante, que é de cerca de 5 anos, em média, e isso deve ser avaliado antes da compra. Se o prazo já tiver vencido, o carro não estará protegido e a blindagem existente pode não proteger contra um tiro, por exemplo.

3 – Para blindar um carro é necessária autorização do Exército.

Verdade – o Exército Brasileiro é o órgão que autoriza pessoas físicas a blindarem seus carros. Sem a autorização em nome do proprietário, a realização do serviço é proibida. A blindagem é permitida pelo Exército, mas seu uso é controlado, por isso, antes mesmo do veículo começar a ser blindado, o Exército precisa receber a documentação do proprietário do carro, da blindadora e dos materiais que serão usados.

4 – É possível rastrear os dados da blindagem.

Verdade – Todos os carros blindados devem ser registrados e ter a autorização de blindagem emitida pelo exército antes do inicio da produção. Os vidros aplicados possuem uma numeração única de rastreio e as mantas são rastreadas pelo lote de produção.

 

Imagens: Divulgação