A segunda geração do Jeep Compass, lançada primeiramente no Brasil, é um sucesso inesperado até certo ponto. Afinal, em um mercado abalado pela crise, não era de se imaginar que um SUV acima dos R$ 100 mil fosse marcar presença entre os 10 carros mais vendidos do País.

Mas a boa aceitação do Compass não parou por aí. O Jeep também foi capaz de se tornar o utilitário esportivo mais vendido do País, ultrapassando até o Honda HR-V (modelo de categoria inferior). Ajudam a explicar esse sucesso a boa fama construída pela marca norte-americana com o Renegade, o visual moderno e discreto, além da oferta de motorizações flex ou turbodiesel com tração 4×4.Em seu primeiro ano no mercado, o Compass não teve um rival direto que o incomodasse – Hyundai New Tucson e Peugeot 3008, apesar dos bons predicados, não chegaram nem perto de ameaçar a hegemonia do Jeep. Mas agora o Compass terá de lidar com recém-lançado Chevrolet Equinox, um concorrente de peso na faixa dos R$ 150 mil.

O novo SUV da Chevrolet, por enquanto oferecido apenas na versão topo de linha Premier (R$ 149.990), compete desde as configurações mais baratas até as variantes mais completas dos SUVs médios, oferecendo um conjunto mecânico moderno e uma lista de equipamentos capazes de confrontar até mesmo as versões de entrada de SUVs de marcas de luxo, como BMW X1, Audi Q3 e Volvo XC60.

O pacote de equipamentos do Equinox, somado à motorização 2.0 turbo a gasolina e ao preço competitivo, dificultou a escolha de uma configuração equivalente do Compass para este comparativo. Diante do que o Jeep oferece, escolhemos a Limited 2.0 turbodiesel 4×4 (R$ 160.990), que chega a custar R$ 183.300 com todos os opcionais. Apesar da diferença de preços suficiente para comprar um Fiat Mobi básico, será que o Compass Limited 4×4 compensa essa grana a mais?

Motorização, desempenho e consumo
O principal destaque do Chevrolet Equinox está sob o capô. É o motor 2.0 turbo Ecotec a gasolina de 262 cv de potência e 37 kgfm de torque – o mesmo propulsor utilizado pela versão de entrada do esportivo Camaro nos Estados Unidos. O câmbio automático de nove marchas do SUV tem funcionamento eficiente, com trocas praticamente imperceptíveis mesmo quando a tocada é mais esportiva. Com esse conjunto, o Equinox é capaz de peitar até mesmo os SUVs de marcas premium. Apesar dos 1.662 kg, o Equinox acelerou de 0 a 100 km/h em apenas 7,43 segundos nos testes de pista do Instituto Mauá de Tecnologia, andando bem na frente do Compass, que cumpriu a prova em 11,98 segundos.O Compass Limited 4×4 também é equipado com uma transmissão automática de nove velocidades, porém, com uma programação mais conservadora que a do rival. O SUV de 1.717 kg não é tão esperto quanto o concorrente nas acelerações e retomadas por causa do acerto voltado para aproveitar em condições off-road os 35,7 kgfm de torque do motor 2.0 turbodiesel de 170 cv de potência. A primeira marcha é utilizada apenas quando a reduzida é acionada no seletor de tração. Se fica atrás do Equinox em desempenho, o Compass compensa no consumo. Nos testes, o Jeep atingiu médias de 10,4 km/l na cidade e 14,8 km/l na estrada contra os 6,8 km/l e 12,8 km/l, respectivamente, registrados pelo Chevrolet (confira todos os números do teste Carsale-Mauá na tabela abaixo).

Em termos de suspensão, esperava-se algo mais firme no Chevrolet por conta do seu desempenho, mas o acerto garante conforto na cidade filtrando bem a buraqueira e controlando a inclinação da carroceria em curvas e mudanças de direção mais rápidas. No entanto, é necessário um cuidado maior ao passar sobre lombadas e valetas, pois a dianteira do Equinox é baixa a ponto de raspar em obstáculos mais altos.Apesar da aptidão dos Jeep 4×4 para rodar longe na terra, o Compass Limited 4×4 tem atributos que agradam mesmo é no asfalto. Na hora de encarar as castigadas ruas de São Paulo, o SUV garantiu bom nível de conforto aos ocupantes, mesmo quando equipado com as rodas de 19 polegadas e os pneus de perfil mais baixo (235/45 R19), oferecidos no pacote de opcionais High Tech. Esse conjunto, aliás, faz a diferença em estradas bem pavimentadas, deixando o Compass Limited mais agradável de conduzir por conta do melhor comportamento em curvas.

Embora seja equipado com tração integral (acionada em um botão no console), o Equinox não tem a mesma desenvoltura do Compass para rodar fora do asfalto por causa da altura livre do solo bem inferior (160 mm contra 218 mm do Jeep). O recurso é bastante útil em situações de baixa aderência, como piso molhado e neve (comum na América do Norte), mas não é aconselhável colocar o Equinox em trilhas ou lamaçais. Já o Compass oferece, além da marcha reduzida, o bloqueio de diferencial e o sistema que configura os parâmetros de aceleração, câmbio e tração de acordo com o terreno.

Equipamentos
O Compass Limited (nas configurações flex ou diesel) sai de fábrica com um pacote de itens de série encorpado: direção elétrica, sete airbags, controles eletrônicos de estabilidade, tração e anti-capotamento, Isofix, sensor de ponto cego, freio de estacionamento elétrico, faróis de xenônio com acendimento automático e faixa de LED, sensor de chuva, bancos revestidos de couro cinza com costuras vermelhas, ar-condicionado digital de duas zonas, coluna de direção com regulagens de altura e profundidade (manuais), chave presencial, lanternas de LED, piloto automático, assistência de partida em rampa e a nova central multimídia com tela sensível ao toque de 8,4 polegadas, comando de voz e conexões Bluetooth/USB/AUX, Android Auto e Apple CarPlay.

Já o Equinox traz os mesmos itens do rival, adicionando os ajustes elétricos com memória para o banco do motorista, central multimídia com tela de 8 polegada sensível ao toque e compatível com Android Auto e Apple CarPlay, rodas de liga leve de 19 polegadas, sistema de som da marca premium Bose, serviço de concierge OnStar (pacote completo), assistente automático de estacionamento para vagas transversais e longitudinais, abertura elétrica do porta-malas, teto solar panorâmico e limitador e controlador de velocidade.

O SUV da Chevrolet traz ainda os seguintes itens de segurança: câmera de ré, sensores dianteiro e traseiro, alertas de colisão frontal, de movimentação traseira que avisa o motorista (por meio de avisos sonoro e vibração no banco) se um pedestre ou carro passar por trás do veículo, de ponto cego, de distância do carro à frente, assistente de permanência na faixa de rolagem e de objeto no banco traseiro (se ao sair com o carro a porta traseira foi aberta, ao chegar ao destino e desligar o veículo, um aviso é acionado).Para se equiparar ao Equinox em equipamentos, o Compass Limited 4×4 precisa de dois pacotes de opcionais: o teto solar panorâmico, que custa R$ 7.760 e itens tecnológicos do Pacote High Tech (R$ 15.050 para o diesel e R$ 10.550 para o flex), que adiciona o controle de cruzeiro adaptativo (indisponível no Equinox), sistema de som premium da marca Beats, faróis com controle automático do facho alto, alerta de colisão frontal, banco do motorista com regulagem elétrica, abertura elétrica do porta-malas e assistente de mudança de faixa.

Visual e acabamento
O Equinox estreia com visual de apelo esportivo e, visto de fora, aparenta ser maior do que de fato é. A grade dianteira se conecta aos faróis, garantindo um toque de sofisticação, sendo que na traseira desenho é mais discreto, porém, harmônico. Por dentro, o Equinox é confortável e a ergonomia merece ponto positivo. O acabamento tem boa montagem, sem rebarbas ou vãos entre as peças e com material imitação de couro sobre o painel – apesar do excesso de plástico rígido para um carro de R$ 150 mil.Já o Compass aposta em um visual mais robusto, utilizando a característica grade com sete fendas da Jeep, mas sem abusar de traços excessivamente retos. O resultado é uma aparência mais discreta que a do Equinox. Por dentro, o Compass também mantém conforto e sobriedade. Os comandos também estão todos próximos do motorista. A montagem do Jeep também é bem executada, sem vãos ou rebarbas, graças aos materiais de qualidade superior ao do rival. As superfícies do painel e das portas utilizam são macias ao toque

Dimensões e espaço
O Chevrolet Equinox também leva vantagem nas medidas, são 4,65 metros de comprimento e 2,72 m de entre-eixos, possibilitando que três adultos viajem confortavelmente no banco traseiro. O assoalho plano também ajuda na hora de acomodar os passageiros. São 1,84 m de largura e 1,66 de altura. O porta-malas comporta a bagagem de toda a família graças aos bons 468 litros.

Já o Compass mede 4,41 metros, ou seja, 24 cm a menos que o rival. O entre-eixos é 9 cm menor (2,63 m). Apesar da diferença considerável, o Jeep também carrega três passageiros com conforto na parte traseira. O SUV produzido em Pernambuco tem 1,81 m de largura e 1,64 m de altura. O porta-malas é um pouco menor, mas também dá conta do recado com 410 litros.Revisões
O fato do Equinox usar o motor da versão de entrada do Camaro nos Estados Unidos pode assustar na hora de pensar em revisões, mas ao contrário do que se imagina, o Chevrolet também vence neste quesito. São necessários R$ 3.132 para fazer as revisões até os 60 mil quilômetros. No Compass são necessários R$ 3.920 para as mesmas manutenções nas configurações a diesel, enquanto as versões flex cobram R$ 4.312.

Veredito
Para quem procura um SUV na faixa de R$ 150 mil, o Chevrolet Equinox é praticamente imbatível. Apesar do maior consumo em comparação com um modelo a diesel (mas condizente com o seu porte e desempenho), o Equinox empolga mais ao volante e ainda supera o concorrente em espaço e equipamentos (com itens de segurança exclusivos). O Compass está praticamente consolidado no mercado brasileiro e não terá as vendas ameaçadas Equinox por um bom tempo. Feito no México, o Chevrolet fica restrito às cotas de importação. Mas este cenário pode mudar se a General Motors mantiver a estratégia de preços, fortalecidas pelas versões mais baratas do Equinox, que devem chegar por aqui em breve.

Teste Carsale-Mauá

 
Jeep Compass Limited 4x4
Chevrolet Equinox Premier AWD
Consumo cidade10,4 km/l6,8 km/l
Consumo estrada14,8 km/l12,6 km/l
0 a 100 km/h11,98 segundos7,43 segundos
Retomada 40 a 100 km/h9,64 segundos5,08 segundos
Retomada 80 a 120 km/h9,2 segundos4,56 segundos
Aceleração em 400 metros18 segundos - 121,95 km/h15,44 segundos - 147,76 km/h
Aceleração em 1000 metros33,42 segundos - 155,40 km/h
27,97 segundos - 190,66 km/h
Frenagem 100 a 0 km/h53,3 metros50,3 segundos

Ficha técnica

 
Jeep Compass Limited 4x4
Chevrolet Equinox Premier AWD
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugaresMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção direta, turbo, intercooler, duplo comando variável de válvulas no cabeçote acionado por correia dentada, a dieselDianteiro, transversal, injeção direta, turbo, duplo comando variável de válvulas no cabeçote acionado por corrente, a gasolina
Número de cilindros4 em linha4 em linha
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão16,5:19,5:1
Cilindrada1.956 cm³1.998 cm³
Potência170 cv a 3.750 rpm262 cv a 5.500 rpm
Torque35,7 kgfm a 1.750 rpm37 kgfm a 4.500 rpm
TransmissãoAutomática de nove marchasAutomática de nove marchas
TraçãoIntegralIntegral
DireçãoElétricaElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPhersonIndependente McPherson
Suspensão traseiraIndependente McPhersonIndependente 4-link
Pneus e rodas225/55 R18235/50 R19
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBDDiscos sólidos com ABS e EBD
Tanque de combustível60 litros59 litros
Volume do porta-malas410 litros468 litros
Altura1,64 m1,66 m
Comprimento4,41 m4,65 m
Largura1,81 m1,84 m
Entre-eixos2,63 m2,72 m
Peso em ordem de marcha1.717 kg1.693 kg
Carga útil400 kg500 kg
Ângulo de entrada28,7º14,8º
Ângulo de saída31,9º23,2º
Ângulo central23,2º16,5º
Altura livre do solo218 mm160 mm

Fotos: Larissa Florencio e Divulgação