Primeiras impressões: aceleramos o novo Volkswagen Polo Highline 1.0 TSI automático

A Volkswagen lança oficialmente nesta segunda-feira (25) a sexta geração do Polo no Brasil, que chega às concessionárias em novembro. O hatch fabricado em São Bernardo do Campo (SP) inaugura a nova estratégia de modelos baseados na plataforma modular MQB e reposiciona os compactos Gol, up! e Fox no portfólio da marca. As versões de entrada do novo Polo são equipadas com as motorizações aspiradas 1.0 MPI e 1.6 MSI, ambas com câmbio manual de cinco marchas, enquanto as variantes Comfortline e Highline são movidas pelo motor 1.0 TSI de 128 cv e transmissão automática de seis velocidades. Confira abaixo versões e preços.

Polo 1.0 MPI – R$ 49.990
Polo 1.6 MSI – R$ 54.990
Polo 1.0 200 TSI Comfortline – R$ 65.190
Polo 1.0 200 TSI Highline – R$ 69.190

Antes de contar as impressões ao volante da versão Highline 1.0 TSI, vale a pena relembrar que o novo Polo é construído sobre a plataforma modular MQB-A0, que segue os atuais padrões globais de construção do Grupo Volkswagen e também servirá de base para o sedã Virtus, uma picape do tamanho da Fiat Toro e um SUV compacto. Esses três modelos serão lançados entre o primeiro trimestre do ano que vem e o segundo semestre de 2019.

O uso da nova plataforma, feita com aços de alta resistência, deixou o Polo consideravelmente maior que a sua quinta geração (não foi comercializada no Brasil). Embora tenha ficado 7 centímetros mais comprido (totalizando 4,05 metros), 7 cm mais largo (1,75 m sem contar os espelhos) e 9,4 cm maior na distância entre-eixos (2,56 m), a carroceria é 2 cm (1,46 m) mais baixa para melhorar a aerodinâmica. A Volks afirma que o novo Polo é cerca de 44 quilos mais leve (1.058 kg) que o modelo de quarta geração, fabricado no país entre 2002 e 2015.

O porta-malas é 71 litros maior que o da quinta geração, mas o Polo brasileiro perde 51 litros de capacidade em relação ao atual modelo europeu por conta do estepe de tamanho convencional acondicionado no assoalho do compartimento (300 litros).A cabine do Polo tem espaço parecido com o do Golf, mas o acabamento é menos refinado que o do irmão maior. Diferentemente da atual versão vendida na Europa, que pode receber apliques na cor da carroceria, o interior do Polo brasileiro é mais conservador. Não há materiais macios ao toque e o uso de peças cromadas fica limitado a detalhes no volante, na alavanca de câmbio e nas saídas do ar-condicionado. A qualidade das peças e da montagem, no entanto, é boa. Atravessando o painel há uma peça plástica cinza que destaca a moldura preta brilhante da tela de 8 polegadas da central multimídia Discover Media. O equipamento, oferecido como opcional, possui três entradas USB e é compatível com os sistemas Apple Car Play e Android Auto (este espelha o aplicativo Waze na tela da central).

Mas o destaque do interior do Polo é o painel de instrumentos totalmente digital Active Info Display, também oferecido como opcional na versão Highline. A tela de 10,25 polegadas é configurável, permitindo desde a visualização das informações básicas do carro (velocímetro, conta-giros, etc) até os mapas 3D da navegação GPS. O sistema é integrado à central multimídia Discover Media por fibra óptica.Com o teste-drive dividido em duas etapas, avaliamos o Polo Highline 1.0 TSI nas seguintes condições: um pequeno trecho de 20 quilômetros em uma rodovia no interior de São Paulo e várias voltas no asfalto impecável do autódromo da Fazenda Capuava, em Indaiatuba (SP). Como é esperado nos carros equipados com pequenos motores turbinados, não é preciso acelerar muito para fazer o Polo embalar. Os 20,4 kgfm de torque disponíveis logo a 2.000 rpm são suficientes para fazer ultrapassagens e retomar velocidade na estrada com segurança e sem precisar apelar para reduções de marchas no modo manual do câmbio automático – acionado pelas borboletas atrás do volante ou na própria alavanca. A transmissão, aliás, é bem escalonada e funciona de maneira suave, sem trancos entre as trocas de velocidade.

Tanto nos trechos de subida da estrada como nos altos e baixos do autódromo, o conjunto mecânico deu conta de entregar desempenho bastante satisfatório para a proposta do carro – lembrando que o motor turbinado enfatiza a economia de combustível. Segundo os dados de fábrica, o Polo Highline 1.0 TSI acelera de 0 a 100 km/h na casa dos 10 segundos e atinge velocidade máxima próxima dos 200 km/h (veja os números abaixo).

A exemplo do antecessor de quarta geração, o novo Polo tem na dirigibilidade um dos seus pontos fortes. Além do conjunto motriz bem afinado, o hatch agrada na precisão da direção elétrica e no bom acerto das suspensões. Dois centímetros mais alto que o do Polo europeu e concebido para o conforto dos passageiros, o conjunto filtra bem as imperfeições do solo apesar da calibração um pouco rígida. Nos trechos sinuosos do autódromo da Fazenda Capuava, o Polo aceitou bem as provocações nas mudanças bruscas de direção, sem responder com escapadas de frente ou traseira. A rápida atuação dos controles de estabilidade e tração também contribuiu para o comportamento equilibrado e seguro do hatch.Nesse primeiro contato, o novo Polo mostrou que a Volkswagen está disposta a brigar pelas primeiras posições do segmento de compactos com um produto bem construído e repleto de tecnologia. O conjunto mecânico da versão topo de linha tem desempenho irretocável e potencial para ser um dos mais eficientes do mercado, mas essa motorização equipará a minoria dos Polos vendidos. Resta saber como o hatch se comporta com os motores 1.0 e 1.6 aspirados, uma vez que a marca mira desde rivais consolidados e bons de loja, como Chevrolet Onix e Hyundai HB20, a novatos como o Fiat Argo e concorrentes que já mudaram (Peugeot 208) ou estão prestes a mudar (Ford Fiesta).

Outras motorizações
Como já havíamos antecipado, a versão de entrada, chamada apenas de Polo, é movida pelo motor 1.0 MPI de três cilindros, associado ao câmbio manual de cinco marchas. Por conta de algumas alterações no escape e na admissão, o propulsor ganhou 2 cv com etanol em relação aos 82 cv da versão que equipa o Gol e o up!. Com gasolina, a potência permanece em 75 cv.

Já o Polo 1.6 16V MSI leva sob o capô o propulsor de quatro cilindros, que gera 110 cv com gasolina e 117 cv com etanol – perda de 3 cv com o combustível vegetal por adotar um sistema de escape divido em duas partes, diferente do utilizado no Fox, por exemplo. E, diferentemente do que fora cogitado, essa motorização estará disponível apenas com transmissão manual de cinco velocidades.

A caixa automática Tiptronic de seis marchas é exclusividade das versões Comfortline e Highline, equipadas com o motor 1.0 TSI de até 128 cv. De acordo com a Volkswagen, essa combinação é inédita e estará disponível apenas no modelo nacional, que também será vendido em outros países da América Latina.

Visual exclusivo
Outra exclusividade do Polo brasileiro é o visual dianteiro. A Volks quis dar um toque mais esportivo reforçando os vincos e aumentando a entrada de ar do para-choque. Por questões de custo, a versão Highline não tem as luzes diurnas de LED embutidas nos faróis, como no modelo europeu. No carro nacional essa iluminação fica alojada ao lado dos faróis de neblina.Principais equipamentos de série
A versão de entrada do Polo, com as motorizações 1.0 MPI ou 1.6 MSI, será equipada de série com direção elétrica, ar-condicionado, suporte para celular sobre o painel, banco traseiro bipartido, sistema de som Media Plus com leitor de MP3 e conexões Bluetooth e USB, volante com ajustes de altura e profundidade, banco do motorista com regulagem de altura, vidros dianteiros e travas elétricas, chave canivete, controle de tração, airbags frontais e laterais e rodas de aço de 15 polegadas com calotas. Opcionais: Pacote Safety (tela multifuncional, controles de estabilidade e tração e bloqueio eletrônico do diferencial) custa R$ 1.050 e Pacote Connect (central multimídia Composition Touch, tela e volante multifuncionais, rodas de liga leve de 15 polegadas) sai por R$ 2.600.Na configuração intermediária Comfortline 1.0 TSI automática, o hatch ganha faróis de neblina, vidros traseiros elétricos, central multimídia Compostition Touch com tela de 6,5 polegadas e espelhamento de smartphones, console central traseiro com entrada USB e saídas de ar-condicionado, retrovisores com repetidores de seta e rebatimento do espelho ao engatar a marcha à ré, apoio de braço para o motorista, volante multifuncional, rodas de liga leve de 15 polegadas, além de sensor de estacionamento traseiro, freios a disco nas quatro rodas e controle de estabilidade. Opcionais: Pacote Tech I (chave presencial, sensor de estacionamento dianteiro, piloto automático, espelho interno antiofuscante, rodas de 16 polegadas, sensor de chuva, faróis com acendimento automático, volante multifuncional com borboletas para trocas de marcha e temporizador dos faróis), Pacote Tech II (indicador de pressão dos pneus, ar digital, câmera traseira, detector de fadiga, porta-luvas refrigerado, porta-malas com rede e ajuste de profundidade e sistema de frenagem pós-colisão) e central multimídia Discover Media (foto acima).Já o Polo Highline conta com todos os itens da Comfortline, mais freios a disco nas quatro rodas e controle de estabilidade, bloqueio eletrônico do diferencial, assistência de partida em rampas, ar-condicionado digital, rodas de 16 polegadas, sensor de chuva, faróis com acendimento automático, luzes diurnas de LED, grade dianteira em preto brilhante com friso cromado, porta-luvas refrigerado, chave presencial com botão de partida no painel, limitador de velocidade e piloto automático. Opcionais: Pacote Native (revestimento de material imitação de couro nos bancos e portas) e Pacote Technology (itens do Pacote Tech II, mais central multimídia Discover Media, antena tipo barbana de tubarão, espelho interno antiofuscante, faróis com ajuste automático de intensidade e acendimento automático, sensor de chuva e rodas de liga leve de 17 polegadas com pneus 205/50 R17).

Reposicionamento de compactos
A Volkswagen já iniciou o reposicionamento da sua linha de hatches para a chegada do Polo. O primeiro modelo a sofrer mudanças foi o Fox, agora disponível apenas em versões com motor 1.6 voltadas aos clientes que valorizam a posição mais elevada de dirigir e o espaço interno bem aproveitado do compacto. Lançado há 15 anos, o Fox nunca sofreu uma grande renovação estrutural, por isso é sério candidato a sair de linha em breve por não fazer parte da estratégia de modelos baseados na arquitetura MQB.

Modelos mais vendido da marca, o Gol terá apenas três versões com motorização 1.0 de até R$ 50 mil, apostando na imagem consolidada no mercado para atrair os clientes mais racionais e com orçamento mais limitado.

O up! foca em clientes que buscam inovação, eficiência e segurança em um compacto. A motorização 1.0 TSI é um apelo de compra a quem busca um veículo prático na cidade e com bom desempenho na estrada.

Ficha técnica

Polo 1.0 MPI
Polo 1.6 MSI
Polo 1.0 TSI
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugaresMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugaresMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando duplo de válvulas na admissão acionado por correia dentada no cabeçote, a gasolina e/ou etanolDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando duplo de válvulas na admissão acionado por correia dentada no cabeçote, a gasolina e/ou etanolDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando duplo de válvulas na admissão e escape acionado por correia dentada no cabeçote, a gasolina e/ou etanol
Número de cilindros3 em linha4 em linha3 em linha
Número de válvulas12 (quatro por cilindro)16 (quatro por cilindro)12 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão11,2:111,5:110,5:1
Cilindrada999 cm³1.598 cm³999 cm³
Potência (gasolina/etanol)75 cv a 6.250 rpm/84 cv a 6.350 rpm110/117 cv a 5.750 rpm116/128 cv a 5.500 rpm
Torque (gasolina/etanol)9,7/10,4 kgfm a 3.000 rpm15,8/16,5 kgfm a 4.000 rpm20,4 kgfm entre 2.000 e 3.500 rpm
TransmissãoManual de cinco marchasManual de cinco marchasAutomática de seis marchas
TraçãoDianteiraDianteiraDianteira
DireçãoElétricaElétricaElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPherson, molas helicoidais e barra estabilizadoraIndependente McPherson, molas helicoidais e barra estabilizadoraIndependente McPherson, molas helicoidais e barra estabilizadora
Suspensão traseiraEixo de torção interdependente, molas helicoidais e amortecedores verticaisEixo de torção interdependente, molas helicoidais e amortecedores verticaisEixo de torção interdependente, molas helicoidais e amortecedores verticais
Pneus e rodas185/65 R15, aço de 15 polegadas185/65 R15, liga leve de 15 polegadas185/65 R15 ou 195/55 R16, liga leve de 15 ou 16 polegadas
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS, EBD e ESC
Freios traseirosTambores com ABS e EBDTambores com ABS e EBDDiscos sólidos com ABS, EBD e ESC
Tanque de combustível 52 litros52 litros52 litros
Volume do porta-malas 300 litros300 litros300 litros
Altura1,46 m1,46 m1,46 m
Comprimento4,05 m4,05 m4,05 m
Largura1,75 m1,75 m1,75 m
Entre-eixos 2,56 m2,56 m2,56 m
Peso em ordem de marcha1.058 kg1.083 kg1.147 kg
Carga útil432 kg427 kg433 kg
Aceleração 0 a 100 km/h (gasolina/etanol)13,3/13 segundos9,9/9,6 segundos10,1/9,6 segundos
Velocidade máxima (gasolina/etanol)166/170 km/h189/193 km/h187/192 km/h

Fotos: Divulgação e Guilherme Silva
Guilherme Silva: Editor-assistente. Gosta de carros e acompanha o universo automotivo desde que se conhece por gente. É fã de modelos compactos e práticos, mas não se importa quando precisa avaliar um utilitário no fora-de-estrada ou acelerar um superesportivo num autódromo.