Dias após a Ferrari revelar informações sobre aPortofino, seu novo esportivo de entrada, começam a aparecer na internet propostas de personalização e até sugestões de criações baseadas na nova máquina da marca italiana. Uma das que chamam a atenção é dodesigner húngaro X-Tomi.

A criação do designer (imagem abaixo) sugere uma configuração shooting brake para a Portofino. Desta forma, a Ferrari recém-apresentada como um cupê-cabriolet de teto rígido substituto da California T passa a ganhar uma variação perua (com a traseira encurtada), na visão do X-Tomi. Provavelmente, esta proposta não sairá do papel, mas se depender da criatividade dos internautas, as fabricantes automotivas já têm muitas ideias para levar em consideração.

Aproveitando o tema, vale lembrar que a Ferrari Portofino será apresentada oficialmente no Salão do Automóvel de Frankfurt (Alemanha), que abrirá as portas para o público no dia 16 de setembro. Confira abaixo seis curiosidades sobre o novo modelo da marca de Maranello.

Nome é uma homenagem:uma das curiosidadessobre a Portofino é que o seu nome é uma homenagem a uma cidade italiana, da região da Ligúria, província de Génova. A região é turística, considerado um destino luxuoso e uma das mais belas da Itália.

Mais potente:O propulsor da Ferrari Portofino é um V8 3.9 litros de 600 cv de potência e 77,4 kgfm de torque da 488 GTB. Em relação à Califórnia T, a substituta conta com 40 cv a mais.

Mais rápida:A Portofino é capaz de acelerar de 0-100 km/h em 3,5 segundos e atingir velocidade máxima acima dos 320 km/h, de acordo com a Ferrari.

Visual é mix de Ferraris: A nova Ferrari ficou com uma aparência mais harmônica que a California T. O novo padrão de design foi inspirado nos esportivos 812 Superfast e na GTC4 Lusso

Cabine tem novidades:Por dentro,a estreante traz entre as novidades uma tela sensível ao toque de 10,2 polegadas que controla o sistema multimídia, além de novos bancos com 18 posições de ajustes.

Novas tecnologias:Estão entre os destaques da Portofino a terceira geração do sistema de diferencial eletrônico traseiro integrado ao controle de tração, amortecedores magnéticos revisados e um chassi feito em alumínio. Além disso, a marca trocou a direção de assistência hidráulica por uma elétrica, que tem relação 7% mais direta, segundo a Ferrari.

Fotos: Divulgação / X-Tomi