Quando publicamos há algumas semanas as primeiras impressões das versões Drive 1.3 GSR e HGT 1.8 (manual e automática) do Fiat Argo, muitos leitores do Carsale questionaram se a configuração de entrada Drive 1.0 de três cilindros não teria o consumo e o desempenho comprometidos por conta do maior peso que o motor Firefly de três cilindros tem de empurrar em relação aos irmãos menores Mobi e Uno. Para sanar essas dúvidas (ou parte delas), a Fiat convidou a imprensa especializada para um rápido teste-drive do Argo Drive 1.0 pelas ruas de São Paulo.Herdado dos pequeninos Mobi e Uno, o propulsor não sofreu alterações para equipar o Argo. O 1.0 de seis válvulas (duas por cilindro) gera 72 cv de potência com gasolina e 77 cv quando abastecido com etanol. O torque máximo de 10,4 kgfm e 10,9 kgfm, na ordem, é disponibilizado entre 3.250 e 4.250 rpm, mas a Fiat diz que o motor entrega 80% dessa força a 2.500 rpm para proporcionar respostas mais ágeis no uso urbano – condição em que 70% dos compactos com motorização de 1.0 litro são majoritariamente utilizados, segundo a fabricante.Ao volante do Argo Drive 1.0, o motorista encontra a boa posição de dirigir (não tão elevada como a do Chevrolet Onix e nem tão baixa quanto no Hyundai HB20) e a ergonomia correta das demais versões. A condução do hatch na cidade é facilitada pela direção elétrica levinha (que nesta versão não possui a função City que alivia o peso da assistência em manobras), mas poderia ser melhor se a alavanca do câmbio manual de cinco marchas tivesse a mesma precisão das variantes 1.3 e 1.8 avaliadas anteriormente. Fora isso, o Argo 1.0 é agradável de dirigir e anda bem no trânsito urbano (mesmo pesando cerca de 100 kg a mais que os principais concorrentes), contrariando os questionamentos feitos na época do lançamento.

De acordo com os dados de fábrica, o compacto acelera de 0 a 100 km/h em 14,4 segundos e atinge os 157 km/h de velocidade máxima com gasolina. Com etanol, a aceleração é um segundo mais rápida e a velocidade final chega aos 162 km/h.No rápido contato que tivemos com o modelo, constatamos que o desempenho é condizente para a proposta de um carro 1.0, aparentemente mais esperto que o Onix e um pouco abaixo do HB20. O câmbio (que possui diferencial mais curto que nas versões 1.3 e 1.8) aproveita bem a potência do motor em arrancadas e subidas, “pedindo” poucas reduções de marcha quando o carro está embalado. Em algumas ocasiões, as retomadas de velocidade em avenidas e vias expressas foram feitas apenas controlando a pressão no pedal do acelerador, graças à boa entrega de torque abaixo de 3.000 rpm.

Para otimizar o consumo, uma vez que utiliza o mesmo motor de modelos menores, o Argo 1.0 recebeu o sistema start-stop (desliga e religa o propulsor em paradas breves), pneus de baixo atrito e defletores aerodinâmicos no assoalho que atenuam a resistência do ar nas caixas de rodas e na parte inferior do carro. Durante o teste, o computador de bordo mostrou boas médias de consumo, que variaram entre 8,4 km/l e 8,9 km/l com etanol. Mas vale lembrar que rodamos por trechos congestionados e o ar-condicionado permaneceu ligado na velocidade mínima em boa parte do percurso. Nos testes de consumo do Inmetro, o Argo 1.0 recebeu nota máxima (A) nas comparações Relativa da Categoria e Absoluta Geral (9,9 km/l na cidade e 10,7 km/l na estrada com etanol e 14,2 km/l e 15,1 km/l, respectivamente, com gasolina).

Segundo a Fiat, a versão Drive 1.0 (a partir de R$ 46.800) responderá por cerca de 35% do mix de vendas do Argo. Com esta versão, a marca espera atrair os potenciais compradores do Chevrolet Onix LT 1.0 (R$ 47.950) e do Hyundai HB20 Comfort Plus 1.0 (R$ 45.830), considerados os principais rivais diretos do Argo em termos de preço e conteúdo. Mas deixa claro que “respeita muito o HB20” por conta das qualidades do compacto da marca coreana.

O Argo Drive 1.0 sai de fábrica equipado de série com airbags frontais; freios com ABS e EBD; Isofix; direção elétrica; ar-condicionado; vidros dianteiros elétricos; travas elétricas; banco do motorista com regulagem de altura; painel de instrumentos com tela de 3,5 polegadas; pré-disposição para rádio; sistema start-stop; rodas de aço aro 14 e calotas.Equipamentos como o rádio Connect com Bluetooth, USB e comandos no volante (Kit Connect de R$ 1.300); vidros traseiros e retrovisores elétricos com repetidores de seta (Kit Convenience de R$ 1.200); sensor de estacionamento traseiro e câmera de ré (Kit Parking de R$ 1.200, mas exige o Kit Multimídia) e central multimídia Uconnect com tela sensível ao toque de 7”com Apple Car Play e Android Auto, duas entradas USB, saída auxiliar, Bluetooth, streaming de áudio, rádio AM/FM e comandos no volante (Kit Multimídia de R$ 1.990) são oferecidos como opcionais. Já itens como rodas de liga leve e faróis de neblina estão disponíveis nas concessionárias na linha de acessórios Mopar. As pinturas metálicas e perolizadas também são cobradas à parte (R$ 1.600).

A versão de entrada do Argo tem qualidades (além do fator novidade) para conquistar quem está prestes a comprar um compacto 1.0 zero quilômetro. Má notícia para os concorrentes, que medirão forças com o novato em um comparativo (com medições de consumo e desempenho feitas pelo Instituto Mauá de Tecnologia) que você verá em breve aqui no Carsale.

Teste-drive a convite da Fiat
Fotos: Divulgação

Ficha técnica

Fiat Argo Drive 1.0
 
 
CarroceriaMonobloco em aço, cinco portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção multiponto sequencial, comando de válvulas simples no cabeçote acionado por corrente, variador de fase, a gasolina e/ou etanol
Número de cilindrosTrês em linha
Número de válvulas6 (duas por cilindro)
Taxa de compressão13,2:1
Cilindrada999 cm³
Potência72 cv a 6.000 rpm/77 cv a 6.250 rpm (gasolina/etanol)
Torque10,4/10,9 kgfm a 3.250 rpm (gasolina/etanol)
TransmissãoManual de cinco marchas
TraçãoDianteira
DireçãoElétrica
Suspensão dianteiraIndependente tipo McPherson
Suspensão traseiraEixo de torção
Pneus e rodas175/65 R14, aço de 14 polegadas

Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosTambores com ABS e EBD
Tanque de combustível48 litros
Volume do porta-malas300 litros
Altura1,50 m
Comprimento3,99 m
Largura1,72 m
Entre-eixos2,52 m
Peso em ordem de marcha1.105 kg
0 a 100 km/h14,4/13,4 segundos (gasolina/etanol)
Velocidade máxima157/162 km/h (gasolina/etanol)