Como é tradicional em todo Salão do Automóvel, os esportivos também estão presente na exposição de Buenos Aires, na Argentina. Sem dúvida, são eles os modelos que mais atraem os olhares dos visitantes.

Alguns deles chamam ainda mais a atenção dos brasileiros, pois, infelizmente, eles não são comercializados em nosso país. Outros, como o Ford Mustang, estão prometidos para o mercado brasileiro, mas ainda levarão um tempo para chegar.

Confira abaixo quais são os esportivos que estão fazendo sucesso no Salão do Automóvel de Buenos Aires:

  • Dodge Challenger Hellcat

Apesar de já existir uma versão mais poderosa do Challenger, a configuração Hellcat com seus 717 cv de potência não faria feio no Brasil. O modelo já chegou a ser estudado para o país, mas por enquanto não há previsão de ele desembarcar em terras brasileiras.

  • Fiat 124 Spider

Tração traseira, motor 1.4 turbo com 162 cv de potência e 25,4 kgfm de torque são os atrativos do Fiat 124 Spider. Certamente esse modelo seria uma opção divertidíssima para ser oferecida em nosso país. Porém, não há planos de a Fiat trazê-lo para o Brasil.

  • Ford Mustang Shelby GT350

A Ford já prometeu o Mustang diversas vezes, porém, durante o último Salão de São Paulo, a marca reafirmou a chegada do ponycar. A marca norte-americana informou que a estreia será apenas em 2018. No entanto, dificilmente veremos a versão abaixo preparada pela Shelby com motor V8 de 5.2 litros e 533 cv de potência.

  • Ford GT

O mesmo exemplar do Ford GT apresentado em Buenos Aires passeou por São Paulo, mas foi apenas isso. O superesportivo, que voltou à vida após 10 anos, conta com um propulsor de 3.5 V6 turbo de 650 cv de potência.

  • Honda Civic Type R

Se nem a versão hatch do Civic pisa em solo brasileiro, fica ainda mais difícil para a configuração mais apimentada da família a Type R. O esportivo é equipado com um bloco 2.0 turbo de 324 cv e mais de 40 kgfm de torque.

  • Honda NSX

Para os fãs do universo automotivo é, praticamente, impossível ler o nome NSX e não lembrar campeão Ayrton Senna. O conjunto responsável por empurrar esse esportivo é um V6 biturbo associado a um motor elétrico, que juntos geram 581 cv de potência e mais de 65 kgfm de torque. Também não há previsão de a Honda trazer o NSX ao Brasil.

  • Peugeot 208 e 308 GTI

O compacto 208 é uma verdadeira cadeira elétrica. O motor 1.6 THP gera 208 cv de potência e 30,5 kgfm de torque – mesmo conjunto que equipa o 208 GT fabricado no Brasil. Junto com ele, o irmão maior, o 308 GTI, ambém usa o mesmo propulsor porém, retrabalhado para gerar 270 cv de potência e 33,6 kgfm de torque.

  • Toyota GT86

O GT86 é o Toyota mais divertido disponível na gama de veículos da marca japonesa, mas não é ofertado no Brasil. A Toyota bem que tentou. Homologou o veículo e até trouxe uma unidade para a frota de imprensa. Mas o projeto de vendê-lo no País não foi adiante. Reestilizado, o GT86 está no Salão de Buenos Aires. O motor o 2.0 aspirado de 208 cv de potência.

  • Volkswagen Golf R

A receita desse foguetinho alemão é o motor 2.0 turbo com 310 cv de potência e 40 kgfm de torque. Com esse propulsor, o hatch é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em apenas 4,6 segundos e atingir velocidade máxima de 250 km/h. Para tristeza dos brasileiros e alegria dos argentinos, o Golf R está confirmado para ser vendido no país vizinho.

  • Volkswagen Sirocco GTS

O conhecido motor 2.0 TSI também equipa a versão GTS do Sirocco, rendendo 211 cv de potência e 28,5 kgfm de torque. A versão mais apimentada não foi vendida no Brasil, enquanto as versões mais “lights” já deixaram o catálogo nacional.

Viagem a convite da Ford
Fotos: Renan Rodrigues / Guilherme Silva