Revelado ao mercado norte-americano na última edição do Salão de Detroit, em janeiro, o Ford EcoSport reestilizado será apresentado oficialmente ao Mercosul na próxima sexta-feira (9), durante o dia dedicado à imprensa no Salão de Buenos Aires, na Argentina (o evento abre as portas ao público entre os dias 10 e 20 de junho), mas algumas informações sobre o SUV compacto já foram confirmadas (confira-as abaixo).

Com alguns meses de atraso, o EcoSport estreará no Brasil no segundo semestre com atualizações mecânicas e de conteúdo, além do visual inspirado na nova geração do crossover Edge. Entre as principais novidades estão um inédito motor 1.5 de três cilindros e um novo câmbio automático de seis marchas com conversor de torque no lugar do criticado PowerShift de dupla embreagem.

Apesar da defasagem em relação aos concorrentes lançados nos últimos anos (Honda HR-V, Jeep Renegade, Nissan Kicks e outros), o EcoSport mostrou nos últimos meses que ainda tem apelo junto ao público. Impulsionado por descontos e promoções feitos pelas concessionárias, que se preparam para a chegada do modelo 2018, o SUV cresceu no ranking de vendas da Fenabrave em maio e recuperou a quinta posição do segmento, que até então pertencia ao Nissan Kicks.

NOVOS MOTORES
As versões de entrada do Ford EcoSport 2018 serão equipadas com o novo motor Dragon 1.5 flex de três cilindros, que desenvolve até 137 cv de potência e 16,2 kgfm de torque. De concepção moderna, o propulsor é basicamente o EcoBoost 1.5 que equipa o Fiesta na Europa, mas sem o turbocompressor e a injeção direta de combustível. Desenvolvido para substituir o atual Sigma 1.6 16V de quatro cilindros (131 cv e 16,2 kgfm), o Dragon 1.5 é constituído de bloco em alumínio, comando duplo variável, coletor de escape integrado ao cabeçote, válvulas com tuchos hidráulicos e balancins roletados.

Já as configurações topo de gama serão movidas pelo conhecido Duratec 2.0 16V de quatro cilindros com injeção direta do Focus. Capaz de gerar 175 cv com gasolina e 178 cv quando abastecido com etanol, o motor será o mais potente da categoria, superando em até 12 cv o 2.0 16V do Hyundai Creta.MELHORIAS INTERNAS
Se o EcoSport nacional seguir o nível de acabamento dos modelos mostrados nos Estados Unidos e Europa, a evolução em comparação ao carro atual será considerável. Além do uso de novos materiais e revestimentos, o SUVinho passa a ser equipado com a terceira geração da central multmídia SYNC, capaz de interagir com smartphones por meio dos sistemas Apple Car Play e Android Auto. O equipamento conta com uma nova tela de alta definição sensível ao toque na parte superior do painel, além de diversos recursos, como GPS com mapas em português e comandos por voz.ESTEPE NA TAMPA FICA
Em meio a tantas mudanças, o EcoSport brasileiro não seguirá o exemplo das versões norte-americanas e europeias e manterá o desajeitado estepe pendurado na tampa traseira, como mostra o flagra feito pelo canal no YouTube Falando de Carro. Apesar das críticas, a Ford já confirmou que na América do Sul o acessório será mantido por ser uma das marcas registradas do jipinho na região. Além disso, o estepe ocuparia muito espaço no porta-malas e a marca não considera prático oferecer o kit de reparos (compressor de ar e selante para vedar o furo) do modelo europeu.

Fotos: Larissa Florencio e Falando de Carro