Apresentado ao mercado europeu durante o Salão de Genebra, em março, o Jeep Compass foi oficialmente lançado no Velho Continente. Por lá, o SUV será importado do México nas mesmas versões disponíveis no Brasil (Sport, Longitude, Limited e Trailhawk), mas com uma motorização a gasolina e duas a diesel. As primeiras unidades chegam em julho.

As variantes de entrada movidas a gasolina são equipadas com o bloco MultiAir II de 1.4 litro turbo de 142 cv de potência e 23,4 kgfm de torque, associada a um câmbio manual de seis marchas (tração dianteira). Com a caixa automática de nove velocidades e tração nas quatro rodas, o propulsor entrega 170 cv e 25,5 kgfm.

Já as configurações a diesel podem ser equipadas com um motor 1.6 turbo de 120 cv e 32,6 kgfm com transmissão manual de seis marchas e tração dianteira ou o 2.0 turbo de 140 cv e 35,5 kgfm com o mesmo câmbio manual ou o automático de nove marchas e tração 4×4 – na versão topo de linha Trailhawk o propulsor entrega os mesmos 170 cv de potência das versões mais caras do Compass brasileiro.

Para a África, Oriente Médio e Rússia, o Compass terá a opção do motor Tigershark de 2.4 litros a gasolina de 184 cv e 24,1 kgfm e câmbio automático de nove marchas (o mesmo conjunto que equipa uma das versões flex da Fiat Toro).

Diferentemente do Compass fabricado e comercializado no Brasil, o modelo destinado à Europa poderá ser equipado com a central multimídia UConnect com tela de 8,4 polegadas compatível com os sistemas Android Auto e Apple Car Play, além de tampa traseira com acionamento elétrico e frenagem automática em uso urbano.

O Compass mexicano também será vendido na América do Norte, enquanto o modelo feito em Goiana (PE) abastece os mercados brasileiro e sul-americano. Na Ásia serão comercializadas as versões chinesa e indiana do SUV.

Fotos: Divulgação