Líder isolado de vendas do segmento de sedãs médios desde 2014, o Toyota Corolla chega à linha 2018 com visual retocado e novos equipamentos (entre eles o tão requisitado controle eletrônico de estabilidade) para tentar ampliar essa vantagem em relação aos concorrentes, que tornaram a disputa na categoria ainda mais acirrada nos últimos anos.

Para confirmar se o Corolla tem “bala na agulha” para continuar dominando o mercado, o Carsale o comparou com o arquirrival Honda Civic, que foi totalmente renovado no ano passado e atualmente ocupa o segundo lugar do segmento. Para isso, levamos em consideração a versão mais vendida do Toyota, a intermediária XEi (R$ 99.990). O Honda entra na briga na configuração EX (R$ 98.400).

Devido à disponibilidade dos carros para a avaliação, ilustramos as fotos da matéria com o Corolla XRS e o Civic Touring, que, apesar de não competirem entre si em termos de preço e conteúdo, servem para mostrar as diferenças de estilo e as proporções de cada modelo.

Visualmente, a Toyota deu uma leve rejuvenescida no Corolla com a adoção de uma aparência mais agressiva, reforçada pelo para-choque dianteiro com vincos mais pronunciados e fendas. Os faróis também foram redesenhados e estão mais pontiagudos, enquanto as lanternas, agora de LED, tiveram o arranjo de luzes modificado. Mesmo assim, o Corolla continua mais conservador que o Civic, que na décima geração voltou a apostar em um visual mais esportivo – ainda que o desenho da traseira divida opiniões.

Por dentro, as mudanças no Corolla são mínimas e podem ser vistas nos novos comandos e nas saídas laterais arredondadas do ar-condicionado. E o tradicional reloginho digital continua presente, sendo reposicionado do topo do painel para a lateral do sistema de entretenimento e navegação.

De série, ambos são equipados com ar-condicionado digital (de duas zonas no Corolla), direção elétrica, rodas de 17 polegadas, faróis com acendimento automático e LEDs diurnos, faróis de neblina, bancos de couro e controlador de velocidade. No pacote de segurança, Corolla e Civic contam com os controles de eletrônicos de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, ganchos Isofix para a fixação de cadeirinhas infantis, além de airbags frontais, laterais e de cortina. O Toyota adiciona uma bolsa inflável para a proteção dos joelhos do motorista.

A partir da versão XEi, o Corolla conta com a nova central multimídia (a mesma da Hilux) com tela sensível ao toque, GPS, rádio AM/FM, conexões Bluetooth e USB e TV digital. Já o Civic EX, bem que merecia um equipamento superior ao simples rádio que também é utilizado no Fit e nas versões de entrada do HR-V.

Por dentro, os dois sedãs oferecem bom espaço para os ocupantes, mas o Corolla leva vantagem na hora de acomodar o terceiro passageiro no banco de trás devido ao assoalho plano, que o Civic perdeu nesta nova geração. No entanto, a cabine do Honda agrada mais pelo visual moderno e acabamento mais caprichado.

Tanto o Corolla XEi quanto o Civic EX são equipados com motorização 2.0 flex e câmbio automático de variação contínua (CVT) com simulação de sete marchas no modo manual, acionado nas borboletas atrás do volante – no Civic a simulação acontece apenas no modo esportivo. O propulsor do Toyota gera 143/154 cv de potência, enquanto o do Honda entrega 150/155 cv (gasolina/etanol).

Na parte mecânica, o Corolla recebeu apenas mudanças na suspensão para que as novas rodas de 17 polegadas não comprometessem o conforto dos ocupantes. Para isso, a Toyota instalou amortecedores e molas mais firmes e aumentou a altura do conjunto em 5 mm. A direção elétrica também foi recalibrada. Essas alterações deixaram o Corolla bem mais agradável de guiar – especialmente na estrada, onde as curvas podem ser atacadas mais rapidamente e sem a sensação de que a traseira do carro está flutuando – mas as suas reações ainda parecem anestesiadas quando comparadas ao comportamento mais esportivo do Civic.

Se antes o Civic era um carro bom de curva, porém excessivamente duro para os ocupantes, agora ele concilia bem o conforto com a pegada mais esportiva que sempre foi uma das suas características. As suspensões independentes nas quatro rodas mantêm o Civic firme nas curvas mais rápidas, enquanto a direção aponta o sedã para a trajetória a ser seguida com maior rapidez e precisão.

Apesar da diferença de comportamento dinâmico, os dois sedãs empataram nos testes de frenagem a 100 km/h: ambos precisaram de 50,1 metros para a parada total, de acordo com o teste do Instituto Mauá de Tecnologia (IMT).Confira os testes completos nas tabelas abaixo.

Superior no prazer ao volante, o Civic, entretanto, anda um pouco atrás do Corolla quando o assunto é desempenho. Na pista de testes do Instituto Mauá de Tecnologia, o Toyota levou vantagem nas acelerações e retomadas e, de quebra, consumiu menos combustível em quase todas as situações. O motor com duplo comando variável na admissão e escape do Corolla (o do Civic tem variação apenas na admissão) e o câmbio CVT muito bem ajustado garantem respostas mais instantâneas, enquanto o conjunto do Honda leva mais tempo começar a embalar o carro.

A Toyota estudou direitinho as mudanças trazidas pela concorrência, mexeu nos pontos que rendiam críticas ao Corolla e deixou o seu sedã ainda mais competitivo no mercado. O Corolla continua não sendo o melhor modelo da categoria, mas por ser eficiente em praticamente tudo (e apoiado na reputação de carro robusto e pelo bom atendimento da rede de concessionárias), deve continuar dominando o segmento (e até ampliar a vantagem) por um bom tempo. Já o Civic compensa o menor apelo entre os consumidores com qualidade de construção e dinâmica superiores, que certamente agradarão em cheio quem dá mais importância ao prazer ao volante do que ao valor de revenda do carro.

Toyota Corolla XEi 2.0 CVT

 
Gasolina
Etanol
Consumo cidade11 km/l7,8 km/l
Consumo estrada15,8 km/l12,7 km/l
0 a 60 km/h5,12 segundos4,72 segundos
0 a 100 km/h10,77 segundos9,84 segundos
0 a 120 km/h15,04 segundos13,60 segundos
Retomada 40 a 100 km/h7,96 segundos7,31 segundos
Retomada 80 a 120 km/h7,63 segundos6,88 segundos
Aceleração em 400 metros17,73 segundos (130,37 km/h)17,13 segundos (134,97 km/h)
Aceleração em 1000 metros32,19 segundos (165,71 km/h)31,09 segundos (171,72 km/h)
Frenagem 100 a 0 km/h50,1 metros50,1 metros

Honda Civic EX 2.0 CVT
 
Gasolina
Etanol
Consumo cidade10 km/l7,1 km/l
Consumo estrada16,1 km/l11,5 km/l
0 a 60 km/h5,44 segundos5,34 segundos
0 a 100 km/h11,10 segundos10,60 segundos
0 a 120 km/h15,36 segundos14,40 segundos
Retomada 40 a 100 km/h8,56 segundos8,32 segundos
Retomada 80 a 120 km/h7,62 segundos7,11 segundos
Aceleração em 400 metros17,99 segundos (130,23 km/h)17,70 segundos (133,94 km/h)
Aceleração em 1000 metros32,37 segundos (167,19 km/h)31,68 segundos (171,58 km/h)
Frenagem 100 a 0 km/h50,1 metros50,1 metros

Ficha técnica

 
Honda Civic EX 2.0 CVT
Toyota Corolla XEi 2.0 CVT
CarroceriaMonobloco em aço, quatro portas, cinco lugaresMonobloco em aço, quatro portas, cinco lugares
MotorDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando simples de válvulas na admissão, acionado por corrente, gasolina e/ou etanolDianteiro, transversal, injeção multiponto, comando duplo de válvulas na admissão e escape, acionado por corrente, gasolina e/ou etanol
Número de cilindrosQuatro em linhaQuatro em linha
Número de válvulas16 (quatro por cilindro)16 (quatro por cilindro)
Taxa de compressão11:112:1
Cilindrada1.997 cm³1.986 cm³
Potência150/155 cv a 6.300 rpm (gasolina/etanol)143/154 cv a 5.800 rpm (gasolina/etanol)
Torque19,3/19,5 kgfm a 4.800 rpm (gasolina/etanol)20,7/19,4 kgfm a 4.800 rpm (gasolina/etanol)
TransmissãoAutomática de variação contínua (CVT) com simulação de sete velocidadesAutomática de variação contínua (CVT) com simulação de sete velocidades
TraçãoDianteiraDianteira
DireçãoElétricaElétrica
Suspensão dianteiraIndependente McPhersonIndependente McPherson
Suspensão traseiraIndependente, multibraçosEixo rígido
Pneus e rodas dianteiros215/50 R17, liga leve de 17 polegadas

215/50 R17, liga leve de 17 polegadas
Pneus e rodas traseiros215/50 R17, liga leve de 17 polegadas215/50 R17, liga leve de 17 polegadas
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBDDiscos sólidos com ABS e EBD
Tanque de combustível56 litros60 litros
Volume do porta-malas519 litros470 litros
Altura1,43 m1,47 m
Comprimento4,63 m4,62 m
Largura1,79 m1,77 m
Entre-eixos2,70 m2,70 m
Peso em ordem de marcha1.290 kg1.315 kg
Carga útil405 kg455 kg

Fotos: Larissa Florencio e Divulgação