Após quase sete anos, o Grupo SHC, do empresário Sergio Habib, encerrou a representação oficial da Aston Martin no Brasil. Segundo a assessoria de imprensa de Habib, o baixo volume de vendas e o alto custo operacional foram os principais motivos para o fim das operações da única concessionária da marca no Brasil, localizada na Rua Colômbia, um dos endereços mais nobres da zona sul de São Paulo.

Em 2016, a Aston Martin vendeu no país apenas duas unidades do modelo “de entrada” Vantage, que custava a partir de US$ 265 mil (cerca de R$ 820 mil). O desempenho ficou bem abaixo dos 36 carros comercializados em 2011, o primeiro ano completo de atividades da marca no Brasil. “Não se paga as contas com vendas tão ínfimas”, resumiu a assessoria do Grupo SHC.

A Aston Martin é famosa mundialmente por ser a marca de carros preferida do personagem do cinema James Bond, o agente secreto 007.

De acordo com um levantamento da consultoria automotiva Jato Dynamics, o mercado de carros de alto luxo retraiu consideravelmente nos últimos cinco anos no Brasil. Juntas, as marcas Aston Martin, Bentley, Ferrari, Lamborghini, Maserati e Rolls-Royce recuaram dos 227 emplacamentos de 2011 para apenas 51 carros vendidos em 2016 (queda de 78%).

Os últimos anos foram difíceis para o Grupo SHC. A empresa voltou as suas atenções para a chinesa JAC Motors, mas viu os seus planos de crescimento no Brasil irem por água abaixo após a elevação do imposto (“super IPI”) sobre veículos importados e a forte queda nas vendas do mercado brasileiro provocada pela crise econômica.

Em 2012, a JAC chegou a anunciar que investiria R$ 1 bilhão na construção de uma fábrica em Camaçari (BA) com a ajuda da matriz chinesa. A fábrica até hoje não saiu do papel e Habib terá de arcar, sozinho, com R$ 200 milhões para dar continuidade ao plano de produzir carros da marca no país.

Além de reorganizar as estratégias da JAC no Brasil, Habib também tem realinhado os planos relacionados às concessionárias Citroën, Peugeot, Volkswagen, Jaguar e Land Rover que fazem parte do Grupo SHC.

Foto: Divulgação