De acordo com pesquisa liderada pela Ford na Europa, o medo de dirigir à noite afeta boa parte das pessoas, sendo que 81% dos entrevistados assumiram que passam por esta situação. Já no caso do publico feminino, o número sobe para 87%. Ainda de acordo com os entrevistados, metade afirma que a má visão noturna é uma fonte de estresse e mais de um terço temem se envolver em acidentes. A marca do oval azul não informou quantas pessoas foram entrevistadas no continente europeu.

Já um levantamento do Observatório Nacional de Segurança Viária no Brasil aponta que só em 2012, mais de 8.800 pedestres morreram devido a acidentes de trânsito.

“Sabemos que para alguns motoristas dirigir à noite é uma experiência estressante, especialmente em grandes cidades onde é comum ver pedestres distraídos com o celular na mão. Eles podem atravessar a rua sem serem vistos no escuro e deixar os motoristas sem tempo de reação”, diz Gregor Allexi, engenheiro de segurança da Ford Europa.

Levando em consideração essa questão, a Ford adianta que lançará no mercado europeu uma tecnologia que visa a evitar atropelamentos e funciona com amplo ângulo de visão e capacidade de processamento de imagens mesmo em situações de baixa iluminação. De acordo com a marca norte-americana, trata-se de um aprimoramento do sistema autônomo de frenagem com detector de pedestres já oferecido pela Ford em modelos como o Fusion, com o apoio de sensores de radar e câmera.

Com essa atualização, o sistema passa a operar em conjunto com um banco de dados de “formas de pedestres” para distinguir pessoas de objetos como árvores e sinais de trânsito. Ao identificar o risco de atropelamento de um pedestre, o sistema primeiro dispara avisos sonoros e visuais para o motorista e, se ele não tomar nenhuma ação, aciona os freios automaticamente.

Fotos: Divulgação