Conforme antecipou a Reuters na última sexta-feira, 03, a PSA é a nova proprietária das marcas Opel e Vauxhall, que antes eram operadas pela Chevrolet.

O anúncio foi realizado em entrevista coletiva na madrugada de hoje, segunda-feira, pelo presidente da PSA, o português Carlos Tavares. O montante total da operação foi de 2.2 bilhões de euros, incluindo 900 milhões de euros para a compra do Banco GM. Além disso, fazem parte do acordo seis fábricas de montagem, cinco fábricas de componentes e um centro de engenharia em Rüsselsheim, na Alemanha.

A PSA terá de ajustar a linha de modelos da Opel, que conta com produtos bastante competitivos (inclusive em relação aos modelos da Citroën e Peugeot), porém com baixas margens de lucro devido o elevado custo de mão de obra nos países onde são produzidos (Alemanha, Espanha e Reino Unido).

A compra da Opel pelo Grupo PSA formará um conglomerado empresarial com capacidade para produzir cerca de 4,3 milhões de veículos por ano (3 milhões na Europa) e de economizar aproximadamente 2 bilhões de euros no mesmo período. Com isso, se tornará o segundo maior grupo automotivo da Europa com 17% do mercado, atrás apenas do Grupo Volkswagen.

A Reuters afirmou que a Opel não poderá concorrer com a Chevrolet em mercados fora da Europa, no entanto, essa informação ainda não foi confirmada. Vale lembrar que modelos como Zafira, Astra e Corsa, que foram vendidos na Brasil, são produtos da marca europeia. A Chevrolet também não detalhou como será sua operação na Europa a partir de agora.