A Renault está ampliando a sua linha de SUVs no Brasil. Inspirada pelo crescimento da categoria nos últimos anos, a marca resolveu investir na fabricação nacional de outro modelo, o Captur, que estreia no país em duas versões cujos preços começam em R$ 78.900 (Zen 1.6 manual) e R$ 88.490 (Intense 2.0 automático). A variante 1.6 com transmissão automática CVT será lançada somente em maio, quando o preço será divulgado.

Construído sobre a mesma plataforma do Duster, o Captur aposta no design que segue a atual identidade visual da Renault. A dianteira conta com o enorme logotipo da marca na grade, faróis afilados e luzes diurnas de LED em formato de “C” ao redor dos faróis de neblina.

Na lateral, há um friso cromado na parte inferior das portas, acompanhando a curva da linha de cintura elevada. As rodas de 17 polegadas, disponíveis com dois desenhos, integram o conjunto estético. A traseira traz lanternas em LED, ponteira do escapamento cromada e um aplique cinza que percorre quase toda a extensão do para-choque.

A Renault também faz questão de destacar o generoso espaço interno do Captur (assim como acontece com o Duster). No caso do novo modelo, são 4,33 metros de comprimento e 2,67 metros de distância entre-eixos — o maior da categoria, segundo a Renault. O porta-malas tem capacidade para 437 litros.

No interior, todas as versões do Captur oferecem central multimídia com os seguintes recursos: GPS integrado, Bluetooth, câmera de ré, computador de bordo com as funções eco-scoring e eco-coaching (monitoram e avaliam a condução visando a economia de combustível) e comandos no volante.

O SUV ainda traz chave presencial do tipo cartão (igual a do sedã Fluence), que permite a partida do motor e a abertura e o travamento das portas e do porta-malas por aproximação ou afastamento, sem necessidade de acionar os botões ou inseri-la no painel do carro.

A versão de entrada Zen é equipada com o recém-lançado motor 1.6 16V SCe, que rende 118/120 cv de potência a 5.500 rpm e 16,2 kgfm de torque a 4.000 rpm (gasolina/etanol), e câmbio manual de cinco marchas.

Para a decepção de quem esperava uma transmissão mais moderna, a configuração mais cara leva sob o capô o mesmo conjunto mecânico do Duster: o conhecido 2.0 16V de 143/148 cv a 5.750 rpm e 20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm (gasolina/etanol), associado ao câmbio automático de quatro velocidades.

Confira abaixo os principais equipamentos de série de cada versão do Renault Captur:

Captur Zen 1.6 SCe manual (R$ 78.900): quatro airbags (dianteiros e laterais), controles eletrônicos de estabilidade (ESP) e tração (ASR), assistente de partida em rampas (HSA), freios com ABS, ganchos ISOFIX para a fixação de cadeirinha infantis, direção eletro-hidráulica, volante com regulagem da altura, ar-condicionado, rodas de 17 polegadas de liga leve, vidros elétricos, alarme perimétrico, chave-cartão hands free, comando de áudio e celular na coluna de direção (comando satélite), assento do condutor com regulagem de altura, sistema CAR (travamento automático das portas a 6 km/h), luzes diurnas em LED, retrovisores rebatíveis, piloto automático com indicador e limitador de velocidade. Opcionais: central multimídia Media Nav + câmera de ré e pintura do teto na cor preta.

Captur Intense 2.0 automático (R$ 88.490): adiciona rodas aro 17 de liga leve com acabamento diamantado, apoio de braço, central Media Nav com tela de 7 polegadas sensível ao toque, câmera de ré, ar-condicionado automático, sensor de chuva, farol de neblina com função Cornering Light (ilumina o lado para o qual o volante está sendo direcionado), faróis com acendimento automático. Opcional: bancos em couro e pintura do teto na cor preta.

O Carsale acompanha o lançamento do Renault Captur e publicará outras informações e as impressões oportunamente.

Fotos: Divulgação