Dias depois de apresentar o facelift da sexta geração do Mustang, a Ford revelou alguns segredos do desenvolvimento do pony car nas décadas de 1960 e 1970. São conceitos de design que nunca se tornaram, de fato, modelos de produção, mas ajudam a contar um pouco da história do modelo mais emblemático da marca.

O Ford Mustang sofreu diversas mudanças e evoluções influenciadas pelas tendências de diferentes épocas (chegando a perder as suas principais características nesses períodos). Os conceitos da galeria abaixo mostram como ajudaram a formar o DNA e a personalidade do clássico.

No desenvolvimento de um novo carro, são produzidos sketches (desenhos) e modelos em argila em escala natural. No caso da evolução do Mustang, esse processo exigiu vários protótipos – fase em que se trata de dar forma ao carro – nos anos 1960 e 1970, que acabaram formando um interessante museu Mustangs inusitados.

Fotos: Divulgação