De acordo com a Associação Brasileira das Empresas Importadoras e Fabricantes de Veículos Automotores (Abeifa), as 18 marcas associadas à entidade comercializaram 1.945 veículos em janeiro. O número é 47% inferior ao desempenho de janeiro de 2016 – em comparação com dezembro, a queda foi de 41,7%. Os veículos importados emplacados em janeiro significaram apenas 1,35% do mercado interno, que licenciou 143.582 unidades de automóveis e comerciais leves.

“Os primeiros meses do ano são, historicamente, muito fracos ao setor automotivo, mas no caso dos veículos importados os baixos volumes de comercialização são preocupantes, sobretudo porque estamos contingenciados por sistema de cotas, até o limite de 400 unidades por mês, ou 4.800 unidades anuais, sem os 30 pontos percentuais”, argumenta José Luiz Gandini, presidente da Abeifa, para quem “fora dessas cotas, os nossos produtos perdem competitividade nos preços ao consumidor final”.

Produção local– Entre as associadas à Abeifa, que também têm produção nacional, BMW, Chery, Land Rover, Mini e Suzuki fecharam o mês de janeiro com 973 unidades emplacadas, total que representou queda de 33,9% em relação ao mês anterior. Comparado a janeiro de 2016, houve aumento de 53,5%, quando foram emplacadas 634 unidades nacionais.

Participações– Ao considerar somente os veículos importados, a participação das associadas à Abeifa, no total do mercado interno, é de apenas 1,35% no mês de janeiro. Com os totais somados – importados e produção nacional -, a participação das filiadas à Abeifa no mercado interno é de 2,88% em janeiro de 2017.

Foto: Divulgação