O ano de 2016 não foi nada animador para as fabricantes de carros no Brasil.O mercado nacional encolheu 20% em relação a 2015, regredindo a números semelhantes aos de 2006. Com isso, muitos consumidores acabaramoptando por carros seminovos, fazendo de 2016 o segundo melhor ano do segmento na história.

No entanto, com investimentos já programados pelas marcas, algumas novidades foram lançadas e, apesar do momento desfavorável do mercado, se deram bem. Confira abaixo:

Fiat Mobi

É verdade que o subcompacto da Fiat nasceu com o motor errado, mas com novo o propulsor de três cilindros (lançado em novembro), o pequenino bateu o recorde de melhor consumo do ranking Carsale-Mauá. A Fiat ainda não conseguiu atingir a meta de vender 7 mil unidades do Mobi por mês, mas, ainda assim, o modelo registrou 28.731 emplacamentos em 2016.

Fiat Toro

Um tiro mais que certo da Fiat. A empresa entendeu bem a demanda de parte do mercado e acertou na criação de uma picape um pouco menor que as consideradas médias tradicionais, porém maior que as compactas derivadas de carros de passeio. Com isso, o modelo inédito garantiu a vice-liderança geral entre as picapes com 41.283 emplacamentos, atrás apenas da irmã menor Strada.

Nissan Kicks

Fruto de um alto investimento da Nissan, o Kicks estreou no Brasil como produto global. Por aqui, o SUV apostou no conforto e na quantidade de equipamentos. O modelo emplacou 10.712 unidades entre agosto (mês de lançamento) e o final de dezembro.

Jeep Compass

O nome Compass é um velho conhecido, mas a segunda geração do SUV estreou mundialmente no Brasil como uma das grandes novidades de 2016. A prova do sucesso foi o salto nas vendas de uma geração para a outra. Enquanto o modelo antigo vendeu apenas 34 unidades no ano passado, o novo Compass foi emplacado 6.569 vezes, entrando na lista dos 50 carros mais vendidos de 2016.

Honda Civic

Outro modelo que entrou nesta lista por conta da grande mudança entre as gerações. O Civic sempre teve bom desempenho no mercado nacional, porém, em ano de crise, as vendas, em média, foram de 1.235 unidades por mês, isso até a chegada da décima geração. Após a mudança, a média subiu para 2.742 carros mensais. No total, o Civic foi emplacado em 20.857 oportunidades.

Chevrolet Cruze

Continuando no segmento de sedãs médios, o Chevrolet Cruze foi outro modelo que mudou muito em 2016. Ao trocar o motor 1.8 aspirado pelo moderno 1.4 turbo, o Cruze dobrou as suas vendas, saltando de uma média de 669 carros por mês no primeiro semestre para 1.375 unidades em cada mês da segunda metade do ano.

Fotos: Divulgação