Ruídos, rangidos ou qualquer tipo de barulho no carro pode indicar que ele está precisando de alguma manutenção. Identificar de onde vêm certos ruídos, nem sempre é uma tarefa simples. Porém, algumas dicas que podem facilitar a descoberta da causa.

Caso o seu carro esteja fazendo algum ruído e você não está conseguindo identificar a origem, a primeira dica é prestar a atenção já na garagem de casa. “Checar com regularidade partes encaixadas do veículo desligado e na garagem é simples e toma pouco tempo. O condutor pode verificar itens internos como a tampa do porta-luvas, a fixação do tampão da porta e do de cobertura do bagageiro, especialmente quando o veículo transita por buracos, lombadas e pisos irregulares”, alerta Gerson Burin, coordenador técnico do Cesvi Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária).

Há também três tipos de barulhos comuns em veículos e que são fáceis de identificar e resolver. O primeiro deles é o apito, que geralmente tem origem no tradicional ruído das pastilhas de um dos freios dianteiros – ou de ambos, que acontece devido ao uso excessivo. Já no caso de rangidos, existem mais possibilidades, como os revestimentos das portas, painel dianteiro, peças de plástico e suspensão. Por fim, se o seu carro está emitindo sons de estalos ou grunhidos, há uma grande possibilidade de ser indicativo de problema na suspensão, o que pode trazer futuramente aborrecimentos maiores que o incômodo sonoro.

Se você não se encaixa em nenhum desses casos acima ou não conseguiu distinguir o barulho do seu carro, a orientação é levá-lo a uma oficina de confiança. “Ao menos uma vez ao ano é interessante que o motorista dê uma volta com o veículo, junto ao seu mecânico com o objetivo de obter uma análise mais técnica e contar com os ouvidos mais acostumados desses profissionais, que podem identificar os itens desgastados e evitar problemas de desempenho e segurança nas vias” ressalta Burin.

Reprodução: aamcovenice