Um dos sedãs mais elogiados pela imprensa especializada norte-americana nos últimos anos, o Chevrolet SS deixará de ser vendido nos Estados Unidos até o final de 2017. A informação foi confirmada ao site WardsAuto pelo presidente da General Motors da América do Norte, Alan Batey, durante uma entrevista no Salão de Detroit na última segunda-feira (9).

Baseado no Holden Commodore, o SS sempre teve vendas bastante discretas desde o seu lançamento, em 2013 – embora seja um carro rápido e divertido de guiar. Além do preço inicial de US$ 46.575 (cerca de R$ 148.800 em conversão direta), pesa o fato de a GM estar encerrando as operações da fábrica da Holden, na Austrália, país onde o sedã é produzido.

Assim como Ford e Toyota, a GM deixará de fabricar veículos naquele país devido os baixos índices de vendas e, principalmente, pelos altos custos de produção. No passado, a Austrália chegou a ter onze fabricantes.

Equipado com um motorzão de 6.2 litros V8 aspirado de 420 cv, câmbio manual de seis marchas (há a opção de transmissão automática de seis velocidades) e tração traseira, o SS nada mais é que uma versão anabolizada do Omega vendido no Brasil até 2011 (este era movido por um V6 de 269 cv).

Capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 4,7 segundos e queimar pneu com facilidade, o SS é o típico lobo em pele de cordeiro. Por conta do tamanho e do visual, o modelo chegou a ser chamado pela imprensa norte-americana de “muscle car disfarçado de sedã”.

Fotos: Divulgação