Em setembro, durante o lançamento dos novos motores FireFly da Fiat, o Carsaledestacou a evolução que esse propulsor trouxe para o Uno. Agora, meses depois, com a possibilidade de rodar mais tempo com o compacto e realizar os testes de desempenho e consumo em parceria com o Instituto Mauá de Tecnologia, é possível afirmar: equipado com esses novos motores o Uno é praticamente outro carro.

A linha FireFly contempla dois novos motores: 1.0 litro de três cilindros e 1.3 litro de quatro cilindros. O propulsor menor entrega 72 cv de potência e 10,4 kgfm de torque (gasolina) e 77 cv e 10,9 kgfm (etanol), enquanto o maior chega a 101 cv e 13,7 kgfm (gasolina) e 109 cv e 14,2 kgfm (etanol).

Equipado com qualquer uma das motorizações, o comportamento do Uno é muito melhor em relação ao veterano Fire. Os ajustes feitos pela engenharia da Fiat, nos dois casos, permitem maior entrega de torque em baixas rotações, melhorando o desempenho urbano. Na estrada, o motor 1.0 deixa a desejar um pouco em situações que exigem mais agilidade, como retomadas, mas a performance é compreensível para a sua proposta. No caso do 1.3, o desempenho é bastante satisfatório tanto na cidade como em percurso rodoviário.

Confira o Teste Carsale-Mauá:

 
Uno 1.0 Fire
Uno 1.0 FireFly
Uno 1.4 Fire
Uno 1.3 FireFly
Consumo Cidade10 km/l (e) e 12,9 km/l (g)10,5 km/l (e) e 14 km/l (g)9 km/l (e) e 13 km/l (g)10,4 km/l (e) e 15,3 km/l (g)
Consumo Estrada13,7 km/l (e) e 16,2 km/l (g)14,3 km/l (e) e 18,7 km/l (g)13,3 km/l (e) e 17,2 km/l (g)13,7 km/l (e) e 19,6 km/l (g)
0 a 60 km/h6,48s (e) e 6,99s (g)6,09s (e) e 6,39s (g)5,48s(e) e 5,70s (g)4,78s (e) e 5,14s (g)
0 a 100 km/h17,12s (e) e 18,57s (g)15,31s (e) e 16,11s (g)13,86s (e) e 14,49s (g)11,42s (e) e 12,23s (g)
0 a 120 km/h27,15s (e) e 31,35s (g)23,49s (e) e 25,11s (g)20,70s (e) e 21,51 (g)16,79s (e) e 18,12s (g)
Retomada 40 a 100 km/h16,09s (e) e 17,75s (g)13,94s (e) e 15,98 (g)14,20s (e) e 14,59 (g)11,02s (e) e 12,07s (g)
Retomada 80 a 120 km/h17,73s (e) e 20,37s (g)15,26s (e) e 17,01 (g)16,84s (e) e 18,80s (g)12,48s (e) e 14,09s (g)
Aceleração em 400 metros20,35s e 107,09 km/h (e) e 20,92 s e 104,44 km/h (g)19,68s e 111,32 km/h (e) e 20,03s e 109,40 km/h (g)18,99s e 116,72 km/h (e) e 19,30s e 114,92 km/h (g)17,89s e 123,09 km/h (e) e 18,47s e 113 km/h (g)
Aceleração em 1000 metros38,27s e 131,74 km/h (e) e 39,28s e 129,81 km/h (e)36,53s e 141,87 km/h (e) e 37,25s e 138,82 km/h (g)35,69s e 141,42 km/h (e) e 36,07s e 140,30 km/h (g)33,34s e 152,56 km/l (e) e 34,07s e 151,27 km/l (g)
Frenagem 100 a 0 km/h56,23 metros52,3 metros54,8 metros54,3 metros

Conforme a tabela comparativa acima, é possível notar a melhoria de desempenho do Uno com os novos motores FireFly. As retomadas estão até quatro segundos mais rápidas, sendo que na prova de aceleração de 0 a 100 km/h o tempo diminuiu em média dois segundos.

Com a estreia dos novos propulsores o Uno também foi beneficiado em termos de consumo de combustível. Se com a utilização as médias melhoraram timidamente, com gasolina, os ganhos foram consideráveis.

O grande pecado do Uno continua sendo o seu ajuste de suspensão. Voltado para o conforto, o conjunto sabe como filtrar bem as imperfeições do asfalto brasileiro, transmitindo pouquíssima vibração para a cabine. No entanto, em termos de estabilidade, o compacto deixa a desejar.

Aliás, por falar em conforto, a direção elétrica ajuda muito a tornar o Uno menos cansativo para dirigir, enquanto a função City, que aumenta em 50% o auxílio à direção, facilita de maneira satisfatória as manobras de estacionamento. Na estrada, no entanto, a direção poderia ser mais firme.

Dependendo da versão ou se o consumidor estiver disposto a adicionar itens opcionais, o Uno 2017 pode se tornar uma referência em segurança no segmento de compactos. O modelo pode ser equipado de fábrica com controle eletrônico de estabilidade (ESC), controle de tração (TC), assistência de partida em rampa (Hill Holder), sistema antideslizamento (ASR) e partida assistida (Tip Start). Outra novidade é o banco traseiro bipartido, que facilita a acomodação de bagagens.

O Fiat Uno continua apresentando um acabamento interno simples (que teve melhorias na montagem desde a estréia do irmão menor, o Mobi) e espaço reduzido, que fica mais nítido quando comparado a outros modelos na mesma faixa de preço. No entanto, mesmo com a troca de motores, o Uno mantém a promessa de manutenção simples e robustez, características valorizadas durante os anos de motor Fire.

 
Fiat Uno 1.0 FireFly
Fiat Uno 1.3 FireFly
MotorTransversal, dianteiro com 3 cilindros em linhaTransversal, dianteiro com 4 cilindros em linha
Cilindrada Total999 cm³1322 cm³
Potência (gasolina/etanol)72/77 cv101/109 cv
Torque (gasolina/etanol)10,4/10,9 kgfm13,7/14,2 kgfm
TransmissãoManual de 5 velocidadesManual de 5 velocidades
Freios dianteirosA disco com ABS e EBDA disco com ABS e EBD
Freios traseirosTamborTambor
Suspensão dianteiraTipoMc PhersonTipoMc Pherson
Suspensão traseiraEixo de torçãoEixo de torção
Pneus175/65 R14175/70 R14 (185/60 R15 na Sporting)
DireçãoElétrica com função CityElétrica com função City
Altura (m)
1.481.54
Largura (m)1.631.65 (1.67 na Sporting)
Comprimento (m)3.823.82
Entre-eixos (m)2.372.37
Peso em ordem de marcha(kg)1.0101.057 (1.055 kg na Sporting)
Tanque (L)4848
Porta-malas (L)280280

Fotos: Renan Rodrigues e Divulgação