Aparentemente, não só a Smart que pretende se beneficiar da Renault-Nissan. A Mitsubishi, que recentemente foi adquirida pela Aliança, poderá ser beneficiada com a compra.

Após a informação que as próximas gerações dos modelos L200 e Frontier irão compartilhar plataforma, a mídia internacional repercute que o próximo Lancer poderá usar a plataforma CMF da Aliança. A informação foi revelada pelo site Autoevolution.

A plataforma é conhecida por sua versatilidade. Com tecnologia modular, semelhante a conhecida plataforma Volkswagen MQB, a base serve para modelos pequenos, como o Datsun Redi-Go, a modelos grandes, como o Nissan X-Trail. O objetivo do grupo seria cortar custos de produção.

Em outubro deste ano, após a Mitsubishi Motors se envolver em escândalos de emissões, Aliança Renault-Nissan comprou 34% da empresa. Assim, a parceira nipo-francesa passou a ser a maior acionista da Mitsubishi, graças ao investimento de US$ 2,3 bilhões.