O segundo dia no Salão do Automóvel 2016 encerrou minha visita ao evento. Assim como na coluna da última quarta-feira, nesta quinta vou escrever sobre os destaques de cada um dos fabricantes. Aí vão eles:

Jaguar/Land Rover
Com um leque grande de produtos, o estande dessas duas marcas de luxo reservou alguns lançamentos, como o F-Pace, primeiro SUV da Jaguar, e o novo Discovery e Evoque conversível, pelos lados da Land Rover.

Mas o destaque mesmo, para mim, continua sendo o Jaguar F-Type, um dos mais lindos do Salão.

Hyundai
A marca sul-coreana apresentou duas novidades que devem agradar o público: o New Tucson e o SUV compacto Creta.

O primeiro só manteve o nome do conhecido Tucson, já que é um carro completamente diferente e com preço bem distante. O segundo virá com o mesmo 1.6 do HB20 ou com o 2.0 do Elantra.

Peugeot
O conjunto de motor THP tem dominado os modelos da marca francesa. Com exceção dos carros de entrada, todos oferecem esse moderno motor 1.6 turbo de origem BMW.

E por falar em modelos de entrada, destaco o 208 PureTech, com o elogiado motor 1.2, um dos mais econômicos da categoria.

A surpresa ficou por conta do novo 3008, que passa a adotar um visual mais SUV do que o de monovolume, da geração anterior.

Subaru
A respeitada marca japonesa não apresentou novidades no Salão do Automóvel 2016. Mas uma visita ao seu estande é sempre válida. O visitante tem a oportunidade de conhecer seus fantásticos carros com motor boxer e tração nas quatro rodas.

Senti falta de um substituto do Tribeca, o antigo SUV de sete lugares da marca.

Lexus
Os Toyotas de luxo têm no design sua principal característica. É do tipo ame ou odeie, e eu confesso que ainda não consegui digerir.

O destaque ficou com o esportivo híbrido LC500H.

Mitsubishi
A tração nas quatro rodas é algo tão marcante nos Mitsubishis que a marca resolveu trazer para o Brasil o primeiro modelo com esse sistema, que também foi pioneiro no Japão. Trata-se do PX33, carro fabricado em 1937.

As atenções ficaram para a recém-lançada L200 Triton.

Outra que mudou, mas bem pouco, foi o ASX, que ganhou novo para-choque.

BMW
Atenta ao crescente mercado de usados, a BMW apresentou uma parceria com uma blindadora que permite dar garantia de dois anos para modelos da série 3 e X3.

Fiquei apaixonado por uma 430i conversível com uma bela combinação de cor – verde, com interior creme. Eu teria facilmente uma dessas na minha garagem!

Suzuki
Mesmo com pouca expressão no mercado, tenho muito respeito pela Suzuki. Sua história no Brasil é rica, principalmente com o Vitara, que foi apresentado em sua nova geração. Ele perdeu o estepe “pendurado” no porta-malas e ganhou a opção de um moderno motor 1.4 turbo, além de um 1.6 aspirado.

Já o S-Cross recebeu uma nova frente e a mesma opção de motores do Vitara.

O robusto Jimny foi apresentado numa versão conceitual, chamada Canvas, com a opção de retirada de parte do teto. A marca mostrou, ainda, um Jimny de primeira geração, um jipinho com um visual para lá de simpático.

O pequeno Swift também estava no Salão, mas identifiquei que era um modelo fabricado em 2014. Tudo indica que eles estão vendendo estoque antigo, que não deve ser renovado.

Citroën
Sem nenhum grande lançamento, a Citroën optou por mostrar apenas carros-conceito, alguns baseados em modelos em linha, como o C4 Lounge, C3 e AirCross.

O único carro não-conceito exibido no Salão do Automóvel 2016 foi o C4 Picasso.

Chery
Uma das marcas chinesas presente no nosso mercado apresentou novos modelos, que, na minha opinião, devem agradar. São dois sedãs – o Arrizo 5 e o Arrizo 7 -, além da nova geração do Tiggo.

O ponto fora da curva continua sendo o QQ. Na minha opinião, ele tem um visual muito estranho.

Lifan
Fui surpreendido no Salão com a presença da Lifan, que optou por não fazer coletiva de imprensa, mas está lá, com seus modelos expostos.

Gostei muito do X80, um grande SUV de sete lugares. Segundo o pessoal do estande, ele nem foi lançado na China. Por aqui, só deve dar as caras em 2018.

Mas a surpresa mais agradável foi com o X60, modelo já comercializado no Brasil. A marca deu um tapa no visual, algo que garantiu identidade própria ao veículo.

Impressionante o acabamento interno, que conta com revestimento em couro, inclusive no painel.

O motor é 1.8, e o câmbio, automático CVT.

Maserati
O último estande do Salão do Automóvel 2016 é o da Maserati, que se rendeu ao segmento dos SUVs e apresentou o Levante.

Os puristas podem até torcer o nariz, mas a marca do tridente manteve o DNA em detalhes como as três saídas de ar no para-lama dianteiro.

Depois de 26 anos na condição de visitante do Salão do Automóvel, a edição 2016 foi a primeira da qual pude participar na condição de colunista de imprensa. Por este motivo, ela ficará para sempre gravada em minha memória.

Meus agradecimentos à equipe do Carsale, que me proporcionou esse momento.

Até a próxima!

Felipe Carvalho é o primeiro caçador profissional de carros do Brasil. Acesse o site www.cacadordecarros.com.br e saiba mais. Inscreva-se no canal do Caçador de Carros no YouTube e curta a página de Felipe no Facebook.