Há seis anos, a Ford apostava em um segmento completamente inédito no Brasil: o dos carros híbridos. Assim, ainda na geração anterior, o Fusion Hybrid chegava ao país.

Agora o Fusion Hybrid 2017 estreia com atualizações no visual e novas tecnologias. A versão sustentável do sedã grande começará a ser vendida no País em novembro com preço sugerido de R$ 159.500.

Apesar da liderança entre os híbridos, em seis anos, a variante híbrida do sedã vendeu apenas 1.800 unidades e agora vai se distanciando cada vez mais do principal rival, o Toyota Prius (R$ 126 mil).

Ainda assim, a marca do oval azul pode se dar ao luxo de vender poucas unidades da versão híbrida, uma vez que o Fusion é líder de seu segmento há dez anos. Para continuar desse jeito, a Ford continua apostando em sua receita clássica: um mix de bom espaço interno (ainda que ligeiramente inferior aos concorrentes) e uma generosa lista de itens de série.

No caso da variante Hybrid, o pacote é o mesmo do Titanium, portanto, são oito airbags (frontais, laterais, de cortina e para os joelhos do motorista e passageiro), cintos de segurança traseiros infláveis, detecção de pedestres, alerta de colisão frontal com frenagem autônoma, monitoramento de pressão dos pneus, assistente de estacionamento automático, faróis full LED, controles de estabilidade e tração, assistência de partida em rampas, alerta de ponto cego, piloto automático adaptativo, entre outros.

Por falar no piloto automático adaptativo, a funcionalidade do sistema é das intuitivas de utilizar. Os botões do piloto automático ficam no próprio volante, incluindo um botão exclusivo para definir a distância do veículo da frente.

Outra função que é rapidamente aprendida pelo motorista é a regeneração de energia dos freios. A informação é sempre revelada no quadro de instrumentos de duas telas de 4,2 polegadas. Assim, o condutor aprende a frear de maneira suave, recuperando mais energia.

A energia regenerada é enviada para uma grande bateria no porta-malas, que é responsável por abastecer o motor elétrico de 47 cv. O bloco elétrico trabalha em conjunto com um motor a combustão de 143 cv, gerando potência combinada de 190 cv, distribuídos pelo câmbio CVT. Assim, eles são responsáveis pelo bom desempenho do Fusion Hybrid, obviamente, longe de empolgar em termos de desempenho e abaixo das versões 2.5 Flex e 2.0 EcoBoost.

Dentro do Fusion, o que mais impressiona é o silêncio. Com auxílio de um sistema que anula os ruídos, a partida do motor é praticamente inaudível, ainda mais quando levamos em consideração que o bloco elétrico conduz o modelo até os 40 km/h, quando o motor convencional é ativado. E é este o grande trunfo da versão híbrida. Todas essas medidas ajudam a tornar o sedã econômico.

De acordo com o Inmetro, o consumo de combustível médio é de 16,8 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada. Isso, de acordo com a Ford, é fundamental, por não prender o consumidor a viagens curtas.

Portanto, o Fusion Hybrid é definitivamente um modelo para quem se importa com a economia de combustível e com o meio-ambiente. A Ford entende esse consumidor e promete 13 novos modelos híbridos ou elétricos até 2020. Basta saber se nossos governantes vão ajudar a baratear essas tecnologias e criarem a infraestrutura necessária.

Fotos: Divulgação