Alguns costumes que temos ao volante podem acabar aumentando ou diminuindo a vida útil de alguns componentes do carro. Um deles é o conjunto da embreagem, cujas principais peças são platô, disco e rolamento. Para ajudar você a colocar em prática alguns hábitos que podem evitar gastos e ajudar na preservação da embreagem, o Cesvi Brasil preparou as dicas abaixo:

  • Em ladeiras, evite segurar o carro com o uso da embreagem
    A prática é muito comum no trânsito, especialmente quando motoristas aguardam o farol abrir. Porém, é bom lembrar que essa prática pode levar ao desgaste excessivo das áreas de atrito da embreagem, platô e volante do motor. Para evitar este desgaste, prefira o freio de pedal ou mesmo de mão e só utilizar a embreagem durante a saída.
  • Evite dirigir com o pé apoiado no pedal da embreagem
    Em estradas, muitas pessoas dirigirem com o pé esquerdo apoiado no pedal da embreagem. No longo prazo, esse hábito pode reduzir a vida útil do conjunto de embreagem. Ao trocar de marcha, tire o pé da embreagem lentamente, respeitando a característica do veículo. E se for manter uma mesma marcha por um longo período, deixe o pé descansando ao lado do pedal e não sobre ele.
  • Ao trocar de marcha, não tire o pé bruscamente do pedal
    Outro problema que geralmente traz prejuízos é liberar o pedal de maneira repentina durante as trocas de marcha, o que incorre em trancos no carro. Isso faz com que os coxins de motor sejam forçados e danificados com o tempo. Como nas outras situações, a prática, com o passar do tempo, prejudica as engrenagens da caixa de câmbio e pode danificar o disco de embreagem.
  • Trepidações ao liberar o pé da embreagem
    Durante a condução do veículo, ao liberar o pé da embreagem para iniciar o movimento do veículo e sentir trepidações, podem indicar problemas de desgaste, perda de material e até mesmo a quebra de molas do conjunto. O ideal é procurar rapidamente uma oficina para evitar danos maiores no volante do motor.
  • Evite as arrancadas
    A última recomendação é não realizar o uso da embreagem com rotações muito altas do motor e liberação muito lenta da embreagem, pois esta prática gera um atrito muito grande no conjunto contribuindo consideravelmente para o desgaste da embreagem.

Foto: Divulgação