Uma notícia surpreendeu os argentinos, a Toyota Hilux se tornou líder geral do mercado vizinho. A nova geração da picape, fabricada na Argentina, custa entre 414 mil (R$ 86 mil em conversão simples) e 811 mil (R$ 168 mil) pesos, preços bem maiores que modelos populares, como Fiat Palio, que custa a partir de 214 mil pesos (R$ 44 mil), e até mesmo que o segundo lugar, uma moto que tem preços a partir de 14 mil pesos (R$ 2.900).

Há algumas explicações para essas surpreendente liderança. A primeira delas é comum no Brasil, trata-se do imposto. Assim como no Brasil, veículos comerciais sofrem tributação diferente, tornando as picapes mais competitivas diante dos SUVs e até mesmo alguns sedãs. E, com as novas leis argentinas, as atividades rurais estão em alta, fortalecendo as vendas desse tipo de veículo.

Outro motivo está na capacidade de abastecimento da planta de Zárate. A fábrica da Toyota pode produzir de 90 a 140 mil carros por ano, evitando filas de espera, que eram comuns na geração anterior. Além disso, a crise do mercado brasileiro auxilia a vender mais carros em solo argentino. Todos esses fatores associados a boa qualidade e fama da picape, fazem da Hilux a líder até o momento no mercado argentino.

Veja os mais vendidos do país vizinho:

1. Toyota Hilux: 25.612 unidades.
2. Motomel B110: 25.020 unidades.
3. Fiat Palio Fire: 23.873 unidades.
4. Volkswagen Gol: 21.852 unidades.
5. Corven Energy 110: 19.997 unidades
6. Renault Clio: 19.457 unidades.
7. Chevrolet Classic: 18.955 unidades.
8. Zanella ZB110: 18.794 unidades.
9. Toyota Etios: 18.534 unidades.
10. Ford Focus: 16.961 unidades.

Foto: Autoblog