A Mercedes-Benz apresentou nesta terça-feira (18) à imprensa especializada o novo Classe E 250. A décima geração do Classe E chega ao País em três versões e se destaca, especialmente, pelo pacote tecnológico. O preço parte de R$ 309.900 para a versão Avantgarde e vai a R$ 325.900 na edição especial de lançamento Exlcusive Launch Edition. A variante Exclusive custa R$ 319.900.

Todas as versões são equipadas com o motor 2.0 turbo que gera 211 cv e a nova transmissão automática 9G-TRONIC de nove velocidades, garantindo um comportamento adequado à proposta do modelo, mas sem grandes empolgações. Ainda assim, os números são bons para o tamanho do sedã. Para chegar aos 100 km/h são necessários 6,9 segundos. A velocidade máxima é de 250 km/h, limitada eletronicamente.

As trocas de marchas são sutis e quase imperceptíveis, enquanto a direção elétrica possui bom acerto, tanto na cidade como na estrada. Há ainda quatro modos de condução: Eco, Comfort, Sport e Sport+. Cada um deles possui tempo de troca de marcha e ajustes de suspensão, de direção e do escapamento específicos.

Na estrada, a palavra de ordem é conforto e isso vai além do ótimo acerto de suspensão. Graças ao pacote ultra-tecnológico, é quase “desnecessário” dirigir o sedã. O pacote Driving Assistance, de série no Brasil, utiliza informações do piloto automático, câmeras e sensores para manter o veículo dentro da faixa de rolagem. Além disso, é possível se guiar pelo carro da frente, mantendo distância segura e velocidade constante, inclusive em curvas de raio longo em velocidades de até 210 km/h. Neste modo, o Classe E também realiza ultrapassagens (para isso, basta apenas acionar a seta).

E se antes esses sistemas não funcionavam corretamente no Brasil e em países em desenvolvimento, agora, com o aprimoramento do sistema, os sensores, câmeras e radares são capazes de manter o carro na trajetória em velocidade de até 130 km/h, mesmo que as faixas não estejam pintadas corretamente. Porém, a lei ainda não permite que o motorista tire as mãos do volante, por isso, passados mais de 30 segundos sem que o motorista tenha alguma ação (segurar o volante, aumentar o som, regular o ar-condicionado, etc), o carro emite um alerta sonoro e visual, pedindo para que o condutor mantenha as mãos no volante. Caso isso não aconteça, o Classe E reduz a velocidade para 60 km/h e, em seguida, para o veículo, ligando o pisca-alerta.

Ainda dentro do Driving Assistance, está o assistente de permanência em faixa, que corrige a rota caso o motorista se distraia e invada outra faixa. A lista de itens que auxiliam o condutor para uma direção mais segura inclui também o Active Braking Assist, que freia totalmente o veículo em velocidade de até 100 km/h caso o carro detecte um congestionamento à frente. Até 70 km/h, o sistema também é capaz de reconhecer carros em cruzamentos e pedestres, freando até a parada, evitando o acidente ou atropelamento. Para os dois casos, o Braking Assist também funciona em velocidades superiores, mas nessas situações apenas diminuirá a gravidade do acidente, sem evitá-lo.

Por fim, entre os assistentes de condução, está o Evasive Steering Assist que, ao mínimo gesto de esterçar o volante para desviar de um obstáculo, entra em ação e devolve o carro para a trajetória, sem que o motorista perca o controle. O sistema funciona até os 70 km/h e apenas quando o motorista realiza o primeiro movimento, caso contrário, será o Active Braking Assist que entrará em ação.

Complementando o pacote de inteligência, o Classe E é o primeiro a ser equipado com os faróis Multibeam LED de alta resolução. São 84 lâmpadas de LEDs de alta performance. Cada ponto de LED é controlado individualmente, o que permite a alteração da intensidade e do faixo de iluminação automaticamente. Sendo assim, ao cruzar com outro veículo na mão contrária, o farol desliga parte das lâmpadas e não ofusca a visão do outro motorista. O mesmo acontece com as placas de trânsito, o farol desliga parte das luzes para facilitar a visualização da placa. Além disso, o Park Assist, que estaciona o carro sozinho, também está disponível.

Se por fora o Classe E segue as linhas do irmão menor C, se distanciando apenas na versão Exclusive, por dentro utiliza itens do irmão maior, o Classe S. O painel de instrumentos está interligado à central multimídia, com a enorme tela de 12,3 polegadas. Os comandos podem ser feitos através do cluster central ou através de touchpads nos volantes multifuncionais. Como era de se esperar de um veículo dessa faixa de preço, o acabamento do Classe E é feito com bons materiais e sem encaixes aparentes.

Fotos: Divulgação