Por um dia, a fábrica da Jeep em Toledo, Ohio, nos Estados Unidos, voltou 75 anos no tempo e fabricou um novo Willys. Ou quase isso. Na verdade trata-se de uma releitura moderna do Jeep original. A criação faz parte das comemorações pelos 75 anos da marca. O protótipo usa o Wrangler como base, mas traz detalhes e peças dos Willys originais de 1941.

O conceito é equipado com rodas de aço de 16 polegadas com pneus de uso militar, retrovisores e tapetes clássicos, além de emblemas do exército americano espalhados pela carroceria. A cor não poderia ser outra, o clássico verde oliva. Assim como o carro original, o conceito não traz portas ou santantônio.

O motor é o conhecido V6 3.6 Pentastar de 289 cv e 36,9 kgfm de torque com transmissão manual de seis velocidades. Após participar das cerimônias dos 75 anos da Jeep, o Wrangler 75th será levado para o museu oficial da empresa.

Vale lembrar que o Willys foi encomendado em 1940 pelo exército americano. À época, as forças armadas precisavam de um veículo para substituir os ultrapassados Ford T adaptados. Assim, no dia 15 de julho de 1941 a Willys-Overland venceu uma concorrência entre 135 empresas precisava apresentar um automóvel que fosse ágil nos campos de batalha, com 272 kg de capacidade, tração na quatro rodas, desenho quadrado, três bancos, para-brisa escamoteável e peso na casa dos 600 kg.

Com importante atuação durante a Segunda Guerra Mundial,não demorou muito para ganhar versões versões civis. O modelo foi fabricado no Brasil pela Willys-Overland e depois pela Ford (que absorveu a Willys) até 1983.