A Kia Motors apresentou nesta quinta-feira (23) o Sportage 2017. A nova geração do utilitário esportivo estreia em duas versões, ambas equipadas com o motor 2.0 litros flex, capaz de entregar 167 cv abastecido com etanol. O câmbio é automático de seis velocidades.

A variante de entrada (LX) tem preço sugerido de R$ 109.990 e, portanto, R$ 6 mil de aumento em relação à antiga geração. Já a topo de linha (EX) custa R$ 134.990, ou R$ 12 mil a mais que o modelo anterior. O valor já inclui o frete.

Os itens de série incluem ar-condicionado, direção elétrica, sensor crepuscular, câmera de ré, sensor de estacionamento traseiro, seletor do modo de condução (Eco Drive / Sport / Normal) e piloto automático.

As versões se diferenciam em alguns equipamentos: enquanto a LX conta com rodas de liga leve de 17 polegadas, a topo EX traz rodas de 19 polegadas. A central varia entre 5 e 7 polegadas, sendo que os bancos são em couro apenas na versão topo. As luzes auxiliares para neblina, bem como as lanternas traseiras, são de LED apenas na variante mais cara. A EX também conta com detector de ponto cego e assistente de tráfego (que identifica pessoas e carros na transversal), espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico, paddle shifts para mudanças de marchas, aquecimento, setas integradas e teto solar duplo panorâmico

A topo ainda adiciona airbags laterais e de cortina, controle eletrônico de estabilidade, controle de frenagem em declives e assistente de partida em aclives.

As medidas praticamente não sofreram alterações, são 40 milímetros a mais no comprimento, 30 milímetros a mais de altura e entre-eixos. No entanto, o porta-malas ganhou 128 litros, totalizando 868 litros. Aliás, espaço é o ponto forte do Sportage. Três passageiros adultos viajam sem problemas no banco traseiro.

Por fim, a Kia aproveitou para lançar seu plano de revisão. No caso do Sportage, a primeira revisão custará R$ 224,64 e deve ser realizada com seis meses de compra ou 10.000 km rodados.

Como anda a quarta geração do Sportage

Durante o lançamento na cidade de Itu, interior de São Paulo, tivemos a oportunidade de dirigir durante 30 km, o que dificulta uma avaliação mais extensa. A unidade disponibilizada foi a LX, considerada de entrada e vendida por R$ 109.990. Durante o breve contato foi possível perceber que o motor 2.0 de 167 cv tem dá conta dos 1.570 kg do Sportage — mas não espere um desempenho exuberante.

Além disso, o bloco não trabalha em conjunto perfeito com a transmissão, especialmente em acelerações mais bruscas, como em uma ultrapassagem. Nessas ocasiões, o ruído do motor fica mais alto e invade a cabine, causando incômodo. Em situações normais, as trocas de marchas são feitas a 2.500 rpm, exceto no modo Sport, que retarda as trocas na tentativa de adicionar esportividade à condução.

As suspensões, independentes nas quatro rodas (McPherson na dianteira e Multi-link na traseira) filtram bem as imperfeições do solo e ainda garantem boa estabilidade em curvas mais rápidas. No computador de bordo, chama a atenção a falta de dados a respeito do consumo. A central multimídia funciona bem, responde rápido, mas contém poucas funções.

Apesar de bem montado, o acabamento da versão de entrada é decepcionante para um carro acima dos cem mil reais. Há uma profusão exagerada de plástico rígido, principalmente nas partes mais baixas do painel e portas. A parte superior do painel utiliza um material um pouco melhor e tenta passar mais sofisticação com uma imitação de costura.

O preço do Sportage LX se torna ainda mais questionável quando olhamos para sua lista de equipamentos. Há apenas o básico. Vidros elétricos, direção elétrica, ar-condicionado convencional, freios ABS e dois airbags. No entanto, esse foi o preço pago pela Kia ao não aderir ao programa Inovar Auto. Sendo assim, a marca paga 30% mais de imposto, sem falar em uma cota de impotação reduzida. Se retirarmos o valor a mais de tributos, o Sportage custaria R$ 76.993.

Essa é a quarta geração do modelo e, de acordo com a Kia, expectativa é de ela alcance durante toda a sua vida 3 milhões de unidades comercializadas ao redor do mundo. Para se ter uma ideia, a ultima geração chegou a 1,6 milhão de vendas e a primeira geração, oferecida entre 1996 e 2002, foi emplacada 554 mil vezes. A segunda geração, fabricada entre 2004 e 2009, acumulou 842 mil unidades em todo o mundo.

Fotos: Divulgação