O Fiat Punto T-Jet reinou praticamente sozinho no terreno de hot hatches fabricados no Brasil nos últimos seis meses, mas deixou de ser oferecido na linha 2017. No entanto, os fãs de compactos esportivos não estão órfãos, pois o segmento ganhou recentemente dois modelos capazes de completar a lacuna deixada pelo Fiat: o Renault Sandero R.S. (parte de R$ 61.509) e Peugeot 208 GT (R$ 78.990), que se enfrentam neste comparativo.

O Renault Sandero R.S. estreou em setembro de 2015 com o título de primeiro modelo da divisão de esportivos da marca fabricado no Brasil. Já o Peugeot 208 GT, lançado neste ano, tem como apelo o motor 1.6 THP compartilhado com modelos mais caros da BMW e Mini. Com características semelhantes, os pequenos franceses carregam alguns detalhes peculiares e deixam a seguinte dúvida: qual deles é a melhor opção de compra? Confira abaixo!

MOTOR E COMPORTAMENTO

O comportamento de cada um dos franceses é diferente e o motivo está debaixo do capô. Enquanto o 208 GT é equipado com o elogiado motor 1.6 THP flex (o mesmo utilizado por versões dos modelos 308, 408 e 2008) e câmbio manual de seis velocidades, o Sandero R.S. traz sob o capô o propulsor 2.0 aspirado (o mesmo do Duster). Abastecido com etanol, o Peugeot entrega 173 cv a 6.000 rpm e torque máximo de 24,5 mkgf a 1.400 rpm, enquanto o Renault conta com 150 cv a 5.750 rpm e 20,9 kgfm de torque máximo a 4.000 giros. Dessa maneira, o 208 entrega mais em termos de arrancada e retomadas, mas não espere uma “goleada” para cima do R.S.

As 120 mil horas de trabalho da engenharia e da divisão esportiva da Renault fizeram a diferença. Apesar de o Peugeot ter quase 4 kgfm a mais de torque com entrega mais cedo, a aceleração de zero a 100 km/h é feita em 7,6 segundos — apenas 0.4 décimo de segundo mais rápido que o Sandero R.S., que precisa de 8 segundos para atingir a mesma marca.

CONSUMO

Porém, se há algo consideravelmente diferente é o consumo. O conhecido motor da Renault ganhou acertos focados na esportividade, garantindo diversão, mas não leva (muito) a sério o fator economia. Sendo assim, durante nossa avaliação, sempre abastecido com etanol, o Sandero R.S. teve média de 7.2 km/l na cidade e 9 km/l na estrada. Enquanto isso, o Peugeot 208 GT, também com o combustível vegetal, marcou 9.5 km/l na cidade e 11.2 km/l na estrada.

TRANSMISSÃO

Os dois motores são conectados a câmbios manuais de seis velocidades, como manda a cartilha dos esportivos. Os engates são curtos, suaves e precisos nos dois casos. No entanto, é inevitável compará-los com as suas versões civis e, neste ponto, o Sandero leva vantagem. Apesar de usar uma transmissão conhecida (a mesma do Duster), a Renault trabalhou no escalonamento das marchas, garantindo uma sintonia equilibrada até a sexta. Como o 208 já conta com um acerto melhor nas versões convencionais e também no 2008 (de quem herdou a transmissão), a Peugeot teve menos trabalho. Em resumo, os dois conjuntos trabalham bem com os seus motores, garantindo assim que o R.S. chegue aos 202 km/h e o GT aos 220 km/h.

SUSPENSÃO E DIREÇÃO

Outra diferença clara dessa dupla está no acerto de suspensão. A equipe R.S. trabalhou forte nesse sentido e adotou um conjunto muito mais rígido que o da versão convencional do Sandero e também mais firme que o do 208 GT, passando uma sensação maior de esportividade.

Um ponto em comum é o acerto da direção, com respostas diretas nos dois compactos. Como o Peugeot conta com uma proposta mais urbana, a marca optou por manter a direção elétrica, caracterizada pelo ser mais leve em baixas velocidades e mais firme em velocidade de cruzeiro. Já a Renault apostou em uma direção eletro-hidráulica, que também realiza bem as suas funções.

Outro item que reforça as diferenças de propostas é o perfil dos pneus. Enquanto o Peugeot usa os pneus 205/50 R17, a Renault aposta em uma parceria com a Continental e utiliza os exclusivos 205/45 R17 — ambos são perfeitamente utilizáveis na cidade.

EQUIPAMENTOS

Em termos de equipamento, ambos contam com controles de estabilidade (ESP) e tração (ASR); piloto automático (controlador e limitador de velocidade); luzes diurnas em LED, assistente de subida em rampa (HSA); vidros, travas e retrovisores elétricos, além de sensor de estacionamento traseiro.

O Peugeot leva vantagem por trazer ar-condicionado automático bi-zone digital, enquanto o Sandero oferece sistema analógico convencional. E a lista do 208 segue ainda mais recheada, com com faróis de neblina dinâmicos (intensidade das luzes varia conforme a curva), câmera de ré, sensores de chuva, crepuscular e de estacionamento dianteiro, rodas em liga leve diamantadas aro 17 com pneus esportivos. As rodas do R.S. são de 16 polegadas, no entanto, por R$ 1.000 é possível colocar um conjunto maior.

Por outro lado, o Sandero tem uma característica imbatível: o espaço interno. O carro da Renault possui mais espaço para os ocupantes e bagagens.

ACABAMENTOS

Dentro de ambos outro item destoa: o acabamento. O 208 GT traz a sofisticação característica dos carros da Peugeot, com materiais diferenciados no painel central, led no painel de instrumentos, bancos parcialmente cobertos de couro, teto revestido na cor preta e central multimídia mais moderna, com direito a conexão com os sistemas Apple CarPlay e Android Auto. Já a Renault mantém os mesmos problemas de acabamento das versões civis do Sandero, portanto, há uma mistura de plásticos rígidos. Os bancos do R.S. possuem revestimento diferenciado, bem como as molduras das saídas de ar, sendo que a central multimídia é a mesma dos outros carros da Renault.

Aliás, por falar em bancos, ambos são do tipo concha, com direito a abas laterais que apoiam melhor o corpo. No entanto, o encaixe no banco do Sandero R.S. é superior, evitando escorregadas durante as curvas mais fortes.

Nos dois hatches os volantes são revestidos em couro, mas o 208 GT leva vantagem, com pegada facilitada por conta de seu tamanho menor e apelo de kart.

CONCLUSÃO

Diferenças à parte, os dois franceses são divertidos e empolgam quem está atrás do volante. Isso torna a decisão de dar vitória a um deles nessa avaliação um tanto quanto difícil. Portanto, para descomplicar, adotaremos um critério técnico: o custo-diversão. Isso porque na hora de decidir por um carro de um nicho restrito como esse, a principal característica a ser levada em consideração é a diversão.

Para chegar ao resultado, dividimos o valor do veículo pela quantidade de cavalos do motor. A Renault pede R$ 62.590 pelo Sandero R.S. com as rodas de aro 17 opcionais, contabilizando R$ 417,26 por cada um dos seus 150 cv. Já o Peugeot 208 GT não sai das lojas por menos de R$ 78.990, tendo o custo-diversão tabelado em R$ 456,58/cv. Portanto, baseado nesse critério, o Sandero R.S. sai com ligeira vantagem desse comparativo.

Mas se falarmos apenas de emoção para quem está atrás do volante, o critério nem sempre é racional. Então, se você está pensando em levar para a garagem um hot hatch, ambos são ótimas opções de compacto com desempenho (bem) acima da média. Vale a pena fazer um test-drive em cada um deles, nem que seja apenas por diversão.

Sandero R.S x Peugeot 208

Modelo
Renault Sandero R.S.
Peugeot 208 GT
PreçoR$ 62.590R$ 78.990
CarroceriaCarroceria monobloco, hatchback, 5 passageiros, 4 portasmonobloco, hatchback, 5 passageiros, 4 portas
MotorDianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 2.0 litros, 16 válvulasDianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 1.6 16V, duplo comando variável, turbo, injeção direta
Cilindrada (cm³)1.9981.598
Potência (gasolina/etanol)145/150 cv a 5.750 rpm166/173 cv a 6.000 rpm
Torque (gasolina/etanol)20,2/20,9 kgfm a 4.000 rpm24,5 kgfm a 1.400 rpm
Freios dianteirosDiscos ventiladosDiscos ventilados
Freios traseirosDiscos sólidosDiscos sólidos
Suspensão dianteiraMcPherson, triângulos inferiores, amortecedor hidráulicos telescópicos com molas helicoidaisIndependente McPherson
Suspensão traseiraRodas semi-independentes, molas helicoidais e amortecedores hidráulicos telescópicos verticais com efeito estabilizadorEixo de torção
RodasLiga leve de 17 polegadasLiga leve de 17 polegadas
Pneus205/45 R17 (opcional)205/50 R17
DireçãoEletrohidráulicaElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)1.1611.196 kg
Comprimento (metros)4,06 3,97
Largura (m)1,731,70
Altura (m)1,491,47
Distância entre-eixos (m)2,592,54
Tanque (litros)5055
Porta-malas (litros)320285
TransmissãoManual de seis marchasManual de seis marchas
TraçãoDianteiraDianteira
Aceleração 0 a 100 km/h8 segundos7.6 segundos
Velocidade máxima202 km/h220 km/h

Fotos: Renan Rodrigues