O Latin NCAP, Programa de Avaliação de Veículo Novos para América Latina e o Caribe, divulgou mais uma rodada de testes de segurança. Assim como aconteceu com o Renault Kwid, outro modelo voltou a zerar na proteção para adultos. Trata-se do Kia Picanto, fabricado na Coreia do Sul.

No entanto, a versão testada do hatch coreano não conta com airbags, sendo comercializada em outros mercados da América Latina e não no Brasil. No quesito segurança para crianças, o Picanto recebeu apenas uma estrela. Com esse resultado, o modelo se quer foi testado no teste de colisão lateral.

O segundo modelo testado foi o Peugeot 208, que obteve apenas duas estrelas para a proteção do ocupante adulto, mostrando desempenho fraco no impacto lateral. O modelo fabricado no Brasil ganhou três estrelas para o ocupante infantil. Na avaliação anterior, o 208 havia obtido quatro estrelas quanto à proteção de adultos e a mesma classificação para proteção infantil. A perda de estrelas aconteceu por conta dos critérios mais rigorosos de segurança para obter classificação, incluindo teste de colisão lateral.

A configuração do teste de impacto frontal é a mesma que a de 2014. O veículo não conta com airbags laterais. Os reforços das portas foram removidos e a proteção da pelve foram removidos em comparação ao modelo europeu, explicando a alta penetração e a proteção da pelve. A proteção para cabeça e peito também é falha.

O Picanto não foi testado em impacto lateral por ter obtido zero estrela no impacto frontal. Contudo, e em contraste com o mais caro e também testado Peugeot 208, o Picanto oferece proteção básica lateral estrutural e interior, como reforços de portas e proteção para a pelve no painel interior das portas. Dessa maneira, a estrutura do hatch da Kia foi classificada como estável.

Para Maria Fernanda Rodríguez, presidente do Latin NCAP, é decepcionante a estratégia da Peugeot vendendo um modelo fabricado localmente sem a proteção lateral, obrigatória desde 1995 na Europa. O Peugeot 208 é considerado um veículo de alto nível e de sucesso na Europa, sendo uma das últimas plataformas do fabricante. “Uma pena o que está fazendo a Peugeot”.