O automóvel está presente em nossas vidas há mais de 100 anos e já passou por inúmeras evoluções. Ao longo do tempo, conceitos de uso e manutenção se perpetuaram, mas nem todos mais fazem sentido. Muita coisa é verdadeira, claro; outras, porém, não passam de mitos.

Como há muito a ser dito a respeito, resolvi dividir o tema em duas colunas, veiculadas aqui no Carsale nesta e na próxima semana, ambas sob o título “Mitos e verdades sobre carros”. Tenho certeza que você vai se identificar com pelo menos alguns deles.

Vamos lá?

  • Andar na banguela (em ponto morto) economiza combustível: MITO
    Já tem uns 20 anos que a injeção eletrônica se popularizou no Brasil. Antes disso, cabia ao carburador a função de “alimentar” o motor. Numa descida, deixar o câmbio em ponto morto fazia com que o motor trabalhasse em marcha lenta. Consequentemente, o consumo era menor, no caso dos carburados. Essa prática não é nada segura, e já não faz mais sentido algum do ponto de vista da economia. Acontece que nos motores com injeção eletrônica o combustível para de ser injetado ao descer engrenado numa descida. O próprio movimento das rodas faz com que o motor continue girando, sem a necessidade de uma gotinha qualquer de combustível.
  • Usar luzes de posição (lanternas) em vias iluminadas durante a noite: MITO
    Essa eu estou cansado de ver! Alguns motoristas acreditam que, em vias iluminadas, basta o uso das lanternas para poder andar com o carro. É só ler o Código de Trânsito Brasileiro para ver que as lanternas servem apenas para posicionar o carro quando o mesmo estiver parado, com fins de embarque e desembarque de passageiro ou carga e descarga de mercadorias. Em movimento, elas só são permitidas em caso de chuva, neblina ou serração. Durante a noite, é obrigatório o uso dos faróis baixos.
  • Usar faróis de longo alcance e neblina em condições normais: MITO
    Outra que estou cansado de ver! Basta o carro ter faróis auxiliares que o motorista faz uso dos mesmos em qualquer tipo de condição. O próprio nome já informa a função deles, e fica claro como atrapalham outros motoristas. O facho desses faróis é simétrico, diferentemente do dos faróis baixos, que é assimétrico para não ofuscar quem vem no sentido contrário.

  • Calibrar pneus ainda frios: VERDADE
    Calibrar os pneus é algo que deve ser feito constantemente, a cada uma ou duas semanas. O recomendado é que seja logo depois de sair com o carro, quando os pneus ainda estão frios. É muito simples entender isso. A pressão do ar muda quando ele está quente. Portanto, o número indicado no calibrador não irá informar a pressão exata do pneu.
  • Alternar o combustível em carros flex: MITO
    Quem me acompanha sabe que não sou fã dos carros flex. A tecnologia pode evoluir ao máximo que eles nunca serão tão eficientes como seus similares monocombustíveis. Mas isso é assunto para uma outra coluna – já que o flex se tornou tendência irreversível.O ponto é que, se a ideia é poder usar qualquer um dos combustíveis em qualquer proporção, não faz sentido acreditar que é preciso alternar os combustíveis para não estragar o motor. Já que o carro é flex e aceita álcool ou gasolina, que fique a critério do motorista decidir qual combustível vai usar, na proporção e no momento que quiser.Minha dica, aqui, é a seguinte: se o seu carro ainda tem o tanquinho de partida a frio, abasteça sempre com gasolina aditivada (que dura mais) e nunca o deixe vazio, para não ressecar as mangueiras.
  • Faz mal para o motor andar com o tanque na reserva: MITO
    O pensamento aqui é que, ao andar com o tanque na reserva, a sujeira do combustível será aspirada e injetada no motor. Além disso, a bomba de combustível pode superaquecer por não estar submersa no combustível.Quanto à questão da sujeira, isso não faz sentido, pois a aspiração é feita no fundo do tanque. Portanto, a sujeira sempre seria aspirada, estando o tanque cheio ou na reserva.Em relação ao superaquecimento, é a passagem interna do combustível pela bomba que resfria essa peça, e não o fato de ela estar submersa.
  • Uso periódico do ar condicionado evita problemas no sistema: VERDADE
    O sistema de ar condicionado não exige muita manutenção, a não ser eventuais limpezas. O próprio gás, na teoria, não acaba; portanto, não exige recarga. Ou você recarrega o gás da sua geladeira? Mas basta ver o grande número de carros nos quais o ar condicionado não funciona para constatar que eles não são infalíveis. A principal causa disso é a falta de uso, pois as mangueiras ressecam e permitem o vazamento do gás. Isso é tão verdadeiro que o fabricante, no Manual do Proprietário, recomenda o uso desse sistema nem que seja durante 15 minutos por semana.

  • É preciso aquecer o motor antes de sair com o carro: MITO
    Essa é velha! Os motores antigos, principalmente os abastecidos com álcool, tinham funcionamento irregular e maiores folgas entre as peças antes de entrarem na faixa de temperatura ideal. Era preciso esperar o aquecimento do motor para poder usá-lo de forma plena, sem falhas ou danos. Mas isso ficou no passado e só se mantém se você ainda é dono de um “antiguinho”. Hoje em dia, o carro está sempre disposto para o que der e vier. Minha única recomendação é que não abuse das altas rotações quando ainda estiver frio.

Nesta semana, paro por aqui. Concluo essa série de mitos e verdades sobre carros na próxima coluna, com mais oito temas que já separei.

Se tiver alguma dúvida ou sugestão, deixe seu comentário.

Até mais!

Felipe Carvalho é o primeiro caçador profissional de carros do Brasil. Acesse o site www.cacadordecarros.com.br e saiba mais. Inscreva-se no canal do Caçador de Carros no YouTube e curta a página de Felipe no Facebook.