A JAC Motors enxergou na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, a oportunidade para lançar no país a maxivan T8, que trazia uma proposta diferente de transporte executivo de passageiros, oferecendo maior nível de conforto e refinamento do que as vans convencionais (como a Mercedes-Benz Sprinter e Renault Master), derivadas de veículos de carga com carroceria montada sobre chassi. No final do ano passado foi a vez da Mercedes-Benz apresentar por aqui a Vito, uma van fabricada na Argentina de concepção parecida com a da T8. Por serem menores, mais leves e levarem até nove ocupantes, Vito e T8 podem ser guiadas por motoristas habilitados com carteira de categoria B, enquanto as vans maiores exigem habilitação D, dependendo da configuração.

Ambas são equipadas com câmbio manual de seis marchas, tração traseira e motores de quatro cilindros de 2.0 litros turbo. O propulsor da Vito é o mesmo do sedã Classe C e funciona com etanol ou gasolina, gerando 184 cv de potência a 5.500 rpm e 30,6 kgfm de torque entre 1.250 e 4.000 rpm. O da T8 bebe apenas gasolina e desenvolve 175 cv a 5.400 rpm e 26,5 kgfm de 2.000 a 4.000 rpm.

Configurada na versão topo de linha Tourer 119 Luxo 7+1 (R$ 139.990), a Vito testada sai de fábrica equipada com ar-condicionado frontal e traseiro; direção elétrica; airbags frontais; freios com ABS; vidros dianteiros, travas e retrovisores com acionamento elétrico; volante multifuncional com ajustes de altura e profundidade; rodas de liga leve de 16 polegadas; assistente de partida em rampa; rádio AM/FM com USB/SD e Blutooth; faróis de neblina; bancos revestidos de courino; cintos de segurança de três pontos e apoios de cabeça para todos os ocupantes, entre outros. Um conjunto de rodas de aro 17 é o único opcional disponível.

A JAC T8 é vendida em configuração única (R$ 95.990) e conta com um pacote parecido com o da Vito, porém, acrescenta alarme antifurto; ar-condicionado automático dianteiro e traseiro; teto solar; central multimídia com tela tátil de sete polegadas, MP3, Bluetooth, USB/SD e DVD e bancos dianteiros com ajustes elétricos. O revestimento de couro da unidade das fotos é opcional (R$ 2.000), assim como o dispositivo (R$ 1.990) que permite deslizar a última fileira de bancos para ampliar o espaço do porta-malas.

JAC T8 conta com portas laterais corrediças em ambos os lados

Parecidas na parte mecânica, T8 e Vito mostram as suas diferenças quando colocadas em movimento. Enquanto a van da JAC tem o comportamento típico de veículos utilitários, a Mercedes chega a lembrar um carro de passeio em alguns aspectos. A T8 rola mais nas curvas por conta da suspensão macia e pelos 10 centímetros extras na altura. Já a Vito tem direção mais precisa e transmite maior confiança nas mudanças de trajetória. Diferentemente da rival, a van da Mercedes-Benz complementa a segurança com controle eletrônico de estabilidade, monitoramento de cansaço do motorista (emite um alerta no painel sugerindo ao condutor parar e descansar após longos períodos ao volante) e assistente de vento lateral (aciona os freios unilateralmente, amenizando os efeitos do vento e mantendo o veículo em sua trajetória).

Desenho da Vito é mais tradicional, enquanto a T8 mostra estilo menos convencional

Ambas apresentam desempenho adequado para as suas propostas. Mesmo pesando 75 quilos a mais que a T8, a Vito leva vantagem nas arrancadas e retomadas pelo fato de o seu motor ser mais potente e entregar mais torque a uma faixa de rotações um pouco acima da marcha lenta. Os 30,6 kgfm estão disponíveis logo a 1.250 rpm, garantindo boa agilidade na cidade e permitindo à van andar na frente de muito carro médio na estrada. Mesmo com números de potência e torque inferiores aos da rival, a T8 não decepciona na hora de acelerar e é mais esperta a partir de 2.000 rpm, quando o propulsor disponibiliza os 26,5 kgfm para empurrar os 2.100 kg do veículo.

Durante a avaliação, as duas vans apresentaram números de consumo parecidos rodando na cidade (abastecidas com gasolina, pois a T8 não é flex): 6 km/l para a Vito e 5 km/l no caso da T8.

A T8, entretanto, compensa a dirigibilidade menos afinada nas manobras de estacionamento. Além de ser um pouco mais curta e estreita que a concorrente, é a única a contar com câmera de ré e sensor no para-choque traseiro, equipamentos que fazem a diferença na hora de encaixar as vans em vagas mais apertadas – afinal, não é fácil encontrar espaços com mais de cinco metros de comprimento.

Bancos da Mercedes-Benz Vito são mais ergonômicos

Para transportar os passageiros, a Vito tem uma concepção mais convencional, com duas fileiras de três bancos individuais na parte traseira. Embora leve um ocupante a menos, a T8 permite girar os dois bancos da fileira intermediária em 360º, transformando a cabine em uma pequena sala de reunião. Ambas contam com portas laterais corrediças de fácil operação, mas somente na JAC é possível embarcar ou desembarcar pelos dois lados da van.

Confortáveis, Vito e T8 acomodam bem os passageiros. O modelo da Mercedes tem bancos mais ergonômicos, que apoiam melhor o corpo nas curvas. Mas quem viaja na parte de trás da JAC pode usufruir de alguns mimos, como ar-condicionado com controles digitais para os bancos traseiros (foto abaixo) e teto solar elétrico.

Apenas a JAC T8 disponibiliza controle traseiro do ar-condicionado e teto solar elétrico

Vito e T8 têm credenciais para serem utilizadas no transporte executivo, mas por levar um passageiro mais, a van da Mercedes sai na frente caso seja colocada no batente – a tradição da marca alemã nos mais variados segmentos também pesa a seu favor. Mais equipada, a T8 apresenta um custo-benefício interessante para o uso familiar, pois é mais espaçosa e barata que a maioria dos SUVs de sete lugares e custa muito menos que as minivans de mesmo porte – como a Chrysler Town & Country (R$ 269.900) e a Kia Grand Carnival (R$ 252.490).

Fotos: Renan Rodrigues

Ficha técnica

Modelo
Mercedes-Benz Vito Tourer 119 Luxo 7+1
JAC T8
PreçoR$ 139.990R$ 95.990
MotorQuatro cilindros em linha, 16 válvulas, turbocompressor, intercooler, bicombustívelQuatro cilindros em linha, 16 válvulas, turbocompressor, intercooler, a gasolina
Cilindrada (cm³)1.9971.997
Potência184 cv a 5.500 rpm175 cv a 5.400 rpm
Torque (gasolina/etanol)30,6 kgfm entre 1.250 e 4.000 rpm26,5 kgfm entre 2.000 e 4.000 rpm
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Suspensão dianteiraIndependente tipo McPherson, molas helicoidais, amortecedores e barra estabilizadoraIndependente tipo duplo A, molas helicoidais, amortecedores e barra estabilizadora
Suspensão traseiraIndependente multilink, molas helicoidais, amortecedores e barra estabilizadoraEixo de torção com duplo balancim e molas helicoidais
RodasLiga leve de 16 polegadasLiga leve de 17 polegadas
Pneus195/65 R16225/60 R17
DireçãoElétricaHidráulica
Peso em ordem de marcha (kg)2.1752.100
Comprimento (metros)5,145,10
Largura (m)1,921,84
Altura (m)1,911,97
Distância entre-eixos (m)3,203,08
Tanque de combustível (litros)7080
TransmissãoManual de seis marchasManual de seis marchas
TraçãoTraseiraTraseira
Capacidade de passageirosSeteSeis
Porta-malas (litros)n/d1.310 (atrás da terceira fileira)/3.550 (a partir da segunda fileira)/4.800 (a partir dos bancos dianteiros)
Capacidade de carga (kg)875n/d
Velocidade máxima (km/h)160 (limitada eletronicamente)175