O Toyota Corolla lidera com folga o segmento de sedãs médios no Brasil – a ponto de vender mais que os seus principais rivais juntos -, mas a concorrência já iniciou o contra-ataque para tentar acabar com essa hegemonia. A Volkswagen lançou o Jetta nacionalizado com o motor 1.4 TSI em fevereiro, enquanto Chevrolet e Honda preparam as estreias das novas gerações do Cruze e do Civic para o começo do segundo semestre. Já a Nissan aproveita o embalo dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, evento do qual é a patrocinadora oficial, para expor a sua imagem e lançar a linha 2017 do Sentra, que traz visual repaginado e novos equipamentos.

– Confira aqui os preços e principais equipamentos de todas as versões do Nissan Sentra 2017

Antecipar os lançamentos de dois importantes rivais pode fazer o Sentra, atualmente o terceiro sedã médio mais vendido do país, subir um degrau no pódio e ocupar a posição que hoje pertence ao Civic. Mas, ao contrário dos concorrentes, que ganharam motorizações turbo em suas atualizações, o Nissan manteve o conjunto mecânico idêntico ao do líder Corolla: bloco de 2.0 litros aspirado e câmbio CVT.

Neste duelo, confrontamos o Corolla Altis com o Sentra SL. O primeiro custa incompreensíveis R$ 104.650, enquanto o último ficou R$ 9.700 mais caro em sua versão mais completa, que agora parte de R$ 95.990. Será que o Sentra consegue justificar esse aumento de preço diante do sedã médio preferido dos brasileiros?

Lançada no Brasil em 2013, a quarta geração do Sentra passa pela sua primeira atualização visual, inspirada no sedã grande Altima, que o deixou com uma aparência mais jovial ao incorporar para-choques redesenhados, grade com barra cromada em formato de “V”, novos faróis com LEDs diurnos. Já a atual geração do Corolla está em nosso mercado desde 2014 e será reestilizada nos próximos meses, trazendo novidades de conteúdo para tentar assegurar a ponta do segmento.

Corolla e Sentra são conhecidos pelo rodar suave e pela dirigibilidade voltada ao conforto. Ambos são equipados com motores 2.0 de 16 válvulas com comando variável. O propulsor do Corolla é mais potente: gera 143 cv com gasolina e 154 cv quando abastecido com etanol, enquanto o do Sentra entrega 140 cv com qualquer um dos combustíveis. O torque máximo é praticamente idêntico em ambos: 19,4/20,7 kgfm e 20 kgfm, respectivamente, a 4.800 rpm.

Ambos são equipados com câmera de ré, mas só o Sentra possui sensor de estacionamento traseiro

Ao volante, os dois modelos são bem semelhantes. A tocada tem pouca emoção, mas o nível de conforto agrada principalmente no trânsito urbano. O motor mais potente e o menor peso do Corolla (1.320 quilos ante 1.360 kg) fazem a diferença em retomadas, mas o Sentra está longe de ser um carro lerdo. Nas medições feitas pelo Instituto Mauá de Tecnologia com o modelo da linha 2016, o Sentra SL foi 1,7 segundo mais lento que o Corolla Altis na prova de retomada de 80 a 120 km/h (8,8 segundos contra 7,1 segundos do Toyota) – número que pode ter diminuído, uma vez que o Nissan ficou mais ágil com a recalibração da transmissão.

Ambos são equipados com câmbios CVT (continuamente variáveis), mas apenas o do Corolla simula sete velocidades e permite trocas manuais na alavanca ou nas borboletas atrás do volante. A do Sentra conta apenas com a função que desliga o overdrive (sobremarcha) – recurso útil para extrair mais desempenho do motor em estradas sinuosas e gerar o freio-motor em descidas extensas, evitando a sobrecarga dos freios.

As suspensões dos dois carros têm comportamento elogiável no que diz respeito a absorção de impactos e se mostram bem projetadas para o péssimo asfalto brasileiro. O Sentra, no entanto, é um pouco mais macio que o Corolla mesmo usando rodas maiores (17 polegadas contra as de aro 16 do Toyota). Ambos são equipados com direção elétrica, mas o sistema do Sentra ficou mais firme e preciso a velocidades mais altas após receber ajustes.

Visual do Corolla ainda é atual, mas mudará em breve; o Sentra ganhou aparência inspirada no Altima

O que eles têm

Em suas versões mais completas, Corolla e Sentra se aproximam da faixa de preços de modelos de marcas premium, mas o Nissan leva vantagem na lista de equipamentos de série. Os dois sedãs saem de fábrica com piloto automático, faróis com acendimento automático, chave presencial, botão de partida no painel, bancos revestidos de couro e ar-condicionado automático – mas só o do Sentra SL possui duas zonas de resfriamento. O Nissan ainda traz teto solar elétrico, item que o Corolla não oferece nem como opcional.

Toyota Corolla Altis sugere requinte com cabine em duas tonalidades

Tanto o Corolla Altis quanto o Sentra SL são equipados com centrais multimídia com tela tátil, comandos no volante, conexão Bluetooth, reprodução de CD, entradas auxiliar e USB, GPS e câmera de ré. A do Toyota conta com recepção de TV digital (reproduz a imagem apenas com o freio de estacionamento acionado), mas a do Nissan traz, na versão topo de linha, o sistema de som premium da marca Bose com quatro alto falantes, dois tweeters e dois subwoofers.

Em termos de segurança, os dois sedãs são equipados com freios com ABS (antitravamento), airbags frontais, laterais e de cortina. O Corolla acrescenta uma bolsa inflável para a proteção dos joelhos do motorista, mas é criticado por não possuir os controles eletrônicos de estabilidade e tração, presentes em todas as versões do Sentra. Além disso, a configuração mais completa do Nissan passa a ser equipada com novos itens de segurança, como o monitoramento de ponto cego (alerta a presença de outros veículos por meio de uma luz na parte interna da porta do motorista) e os alertas de colisão frontal e de tráfego cruzado traseiro.

Nova tela do computador de bordo do Sentra mostra o funcionamento dos novos recursos de segurança

O Sentra SL ficou mais caro, mas vence o confronto por entregar uma relação custo-benefício superior à do Corolla Altis. O Nissan chega à linha 2017 revigorado para brigar por posições no pódio do segmento, mas poderá sofrer baixas nas vendas com as chegadas dos renovados Chevrolet Cruze e Honda Civic. Já o Corolla nada de braçada no mercado por desfrutar da fama de carro confiável e de boa aceitação no mercado, mas não justifica custar quase R$ 105 mil em sua versão topo de linha – que deverá ganhar o tão solicitado controle de estabilidade apenas na reestilização que chega por aqui no segundo semestre.

Fotos: Renan Rodrigues e Divulgação

Ficha técnica

Modelo
Nissan Sentra SL
Toyota Corolla Altis
PreçoR$ 95.990R$ 104.650
MotorLongitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, bicombustívelLongitudinal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, bicombustível
Cilindrada (cm³)1.9971.986
Potência (gasolina/etanol)140 cv a 5.100 rpm143/154 cv a 5.800 rpm
Torque (gasolina/etanol)20 kgfm a 4.800 rpm19,4/20,7 kgfm a 4.800 rpm
Freios dianteirosDiscos ventilados com ABS e EBDDiscos ventilados com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos sólidos com ABS e EBDDiscos sólidos com ABS e EBD
Suspensão dianteiraIndependente tipo McPherson com barra estabilizadoraIndependente tipo McPherson com barra estabilizadora
Suspensão traseiraEixo de torção com barra estabilizadora e molas helicoidaisEixo de torção com barra estabilizadora e molas helicoidais
RodasLiga leve de 17 polegadasLiga leve de 16 polegadas
Pneus205/50 R17205/55 R16
DireçãoElétricaElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)1.3601.320
Comprimento (metros)4,634,62
Largura (m)1,761,77
Altura (m)1,501,47
Distância entre-eixos (m)2,702,70
Tanque de combustível (litros)5260
TransmissãoCVT (continuamente variável) com função de desligamento do overdriveCVT (continuamente variável) com simulação de sete marchas
TraçãoDianteiraDianteira