Conforme revelado na última semana, a Nissan apresenta ao mercado brasileiro a linha 2017 do sedã médio Sentra, que foi reestilizado e ganhou equipamentos. A atual geração, vendida por aqui desde 2013, chega às concessionárias a partir de hoje (20) com preço inicial de R$ 79.990 – a série especial Unique (R$ 89.990) deixou de ser oferecida.

Nissan Sentra S 2.0 CVT – R$ 79.990 (custava R$ 69.990 com câmbio manual)
Nissan Sentra SV 2.0 CVT – R$ 84.990 (custava R$ 76.990)
Nissan Sentra SL 2.0 CVT – R$ 95.990 (custava R$ 86.290)

O Sentra 2017 mantém a motorização 2.0 flex de 140 cv de potência e 20,3 kgfm de torque a 4.800 rpm, associada ao câmbio CVT (continuamente variável). A versão de entrada S não é mais oferecida com a caixa manual de seis marchas. De acordo com a Nissan, a configuração intermediária SV será a mais vendida de toda a gama.

Importado do México, o sedã adota a nova identidade visual da Nissan. Os para-choques foram redesenhados com entradas de ar maiores, a grade ganhou formato de “V” e os novos faróis englobam LEDs de condução diurna. As rodas de 16 ou 17 polegadas também são novas. Já a traseira também teve o para-choque retocado e as lanternas também ganharam iluminação de LED.

Na cabine, as novidades são os detalhes em black piano (plástico preto brilhante) e novos grafismos do painel de instrumentos e volante atualizado.

O sedã ganha também controles de estabilidade e tração de série em todas as versões (antes disponível apenas nas configurações intermediária SV e topo de linha SL), retrovisor fotocrômico, rádio com tela de cinco polegadas sensível ao toque, sensor de estacionamento traseiro e faróis com acendimento automático.

A partir da versão SV, o Sentra traz rodas de liga leve de 17 polegadas, controle de cruzeiro, ar-condicionado de duas zonas, câmera de ré, GPS, sistema de conectividade NIssan Connect e bancos revestidos de couro. A topo de linha SL adiciona sistema de som premium Bose (seis alto-falantes e dois subwoofers), painel de instrumentos com tela digital configurável, teto solar elétrico, banco do motorista com regulagens elétricas e o pacote de segurança Safety Shield, que inclui alertas de colisão frontal e de tráfego cruzado, além de monitoramento de ponto cego.

Impressões

Ao entrar no Sentra, algumas novidades, como o acabamento com materiais mais suaves ao toque, são imediatamente notadas – embora o visual ainda seja sóbrio. O novo volante multimídia, revestido em couro e com os botões de comando da central multimídia e do piloto automático deu um ar menos sisudo ao sedã.

O desempenho do Sentra é bem satisfatório para a sua proposta. O conhecido motor 2.0 de 140 cv e 20,3 kgfm de torque não faz feio na hora de empurrar o sedã e, associado à caixa CVT (continuamente variável), proporciona uma condução suave, bem voltada ao conforto. Na linha 2017, a transmissão passou por acertos e parece estar mais entrosada com o motor, evitando que este eleve as rotações demasiadamente em retomadas. Outro ponto revisto no Sentra foi a direção elétrica, que ficou mais firme e precisa a velocidades mais altas.

No geral, o Sentra manteve o bom nível de conforto da cabine, que acomoda facilmente cinco pessoas. A Nissan também melhorou o isolamento acústico do sedã para reduzir o nível de ruídos no interior do carro.

O Sentra perdeu um pouco a cara de carro de tiozão e ficou mais atraentes com as linhas mais agressivas na dianteira. Além disso, ele traz mais itens de série e torna-se uma opção interessante diante de rivais mais caros e menos equipados. Agora resta aguardar para saber como será o desempenho do sedã após a chegada de outros concorrentes totalmente renovados, como o Chevrolet Cruze e o Honda Civic.

Fotos: Divulgação