Como explicar a paixão por um carro de linhas extremamente simples, com motor fraco, interior básico, instável nas curvas e com bagageiro pequeno?

O Type 1 nasceu no final dos anos 1930 pelas mãos do lendário Ferdinand Porsche e sua equipe, sob encomenda do governo alemão (na época já nas mãos do ditador nazista Adolf Hitler). O objetivo era criar um carro que fosse acessível à maior parte da população. Por isso tinha de ser simples em todos os sentidos.

Com o fim da Segunda Guerra Mundial, o lado ocidental da Alemanha (sob a administração dos Estados Unidos) precisava buscar maneiras de se reerguer e, a retomada da fabricação de carros foi uma dessas estratégias, dando origem ao KDF (Kraft Durch Freude, que significa “Força através da alegria”, primeiro nome do Fusca).

O Beetle (besouro em inglês), então, ganhou o mundo se tornando um grande sucesso e influenciando o lançamento de outros carros, como o Maverick nos Estados Unidos – a Ford lançou este carro para competir com o Fusca em vendas. No Brasil, o Fusca chegou no início dos anos 1950. No auge da sua produção, o besouro também foi utilizado por várias empresas privadas e por órgãos públicos, como as polícias estaduais e as federais.

A produção do Fusca no Brasil foi encerrada em 1986 e retomada de 1993 a 1996, mas durou até 2003 no México, último país a aposentá-lo. Foram 69 anos na linha de montagem. Atualmente, a Volkswagen vende o que seria a terceira geração do carro, chamado mundialmente de Beetle e apenas Fusca no Brasil.

FUSCA EM MINIATURA

Na escala 1:64 o VW Fusca também é um enorme sucesso. Praticamente todas as fabricantes de miniaturas já o reproduziram. A mais recente foi a americana M2 Machines, focada em carros criados entre 1950 e 1970. Uma das principais qualidades dessa fabricante é a atenção aos detalhes e a quantidade de peças utilizadas em algo tão pequeno, características observadas na reprodução dessa versão de luxo de 1953 com volante do lado direito (foto abaixo).

Nessa miniatura os faróis são de plástico, o capô e o bagageiro abrem, o motor possui duas cores, as linhas do para-brisa, vidros laterais e lanternas são pintadas e, por fim, exibe calotas na forma de “bola”, um charme do Beetle.

Outro modelo que não poderia ficar de fora é a “baratinha” da policia (veja na galeria acima), uma edição feita pela fabricante americana Greenlight em parceria com a importadora brasileira Califórnia Toys. A versão da Polícia Rodoviária Federal vem até com o giroflex da época no teto. No geral, são miniaturas simples sem partes móveis, mas com detalhes na pintura fiéis aos originais.

Fotos: Texto e fotos Doalcey Rocha

Doalcey Rocha, 38 anos, é engenheiro agrônomo, professor e apaixonado por carros, miniaturas e fotografia. Também é proprietário do blogMiniaturas de Carros em Foco, voltado ao fantástico mundo das “minis”.