A Nissan apresentou oficialmente nesta segunda-feira (2), no Rio de Janeiro (RJ), o crossover Kicks, que estreia no mercado brasileiro em agosto, inicialmente importado do México. A produção nacional começa ainda no segundo semestre deste ano, na fábrica de Resende (RJ), onde a marca investiu R$ 750 milhões.

Concebido por uma parceria de centros de desenvolvimento da Nissan do Brasil, dos Estados Unidos e da matriz no Japão, o Kicks foi criado para concorrer no segmento de SUVs compactos, um dos mais badalados do momento em diversos mercados pelo mundo. Por aqui, o modelo da Nissan apontará a sua mira para os veteranos Ford EcoSport e Renault Duster, os novatos e bem-sucedidos Honda HR-V e Jeep Renegade, além do recém-chegado JAC T5.

Montado sobre a plataforma dos compactos March (hatch) e Versa (sedã), o Kicks mede 4,29 metros de comprimento, 1,76 m de largura, 1,59 m de altura e 2,61 m de distância entre-eixos. O porte é idêntico ao do Honda HR-V.

O crossover será equipado com o conhecido motor de 1.6 litro de 16 válvulas flex, que gera até 114 cv de potência. As transmissões disponíveis serão a manual de cinco marchas e a CVT (continuamente variável).

Seguindo a tendência da maioria dos concorrentes, o Kicks deverá ser equipado de série com controle eletrônico de estabilidade. A versão mais cara, a SL, sairá de fábrica com ar-condicionado digital, sensores de estacionamento e quatro câmeras para mostrar a visão de todos os ângulos do carro em manobras.

Mais discreto que o conceito mostrado no Salão do Automóvel de São Paulo de 2014, o Kicks chama a atenção pelo visual repleto de vincos e pelo teto mais baixo na parte traseira e com pintura diferente da carroceria (esse detalhe deverá ser opcional).

Fotos: Divulgação