O instituto Latin NCAP divulgou uma nova rodada de resultados de seus testes de segurança. Os dois veículos avaliados desta vez decepcionaram, principalmente o Chevrolet Sail, que recebeu zero estrela com relação à proteção do ocupante adulto. Já a nova Ford Ranger conseguiu obter três estrelas no quesito segurança de adultos.

A nova Ranger, produzida na Argentina, alcançou três estrelas quanto à proteção do ocupante adulto e quatro estrelas em relação à proteção do ocupante infantil. A picape foi submetida a testes de impacto frontal e lateral e, em ambos os casos, ofereceu boa proteção para os ocupantes adultos e infantis.

A Ranger dispõe de ancoragens ISOFIX, cintos de três pontos em todos os assentos e a possibilidade de desativar o airbag quando instalado um sistema de retenção infantil olhando para trás no banco do acompanhante. Infelizmente, a Ranger não conta com Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC) como equipamento padrão, exigido como requisito pelo Latin NCAP. O teste de poste não foi feito. Esses dois motivos explicam por que a Ranger não obteve um melhor resultado quanto a proteção do ocupante adulto.

Por outro lado, o Chevrolet Sail, um sedã compacto muito popular na América Latina e Caribe, causou extrema preocupação, uma vez que não alcançou nenhuma estrela para o ocupante adulto e apenas duas estrelas para a proteção de crianças. A unidade testada pelo Latin NCAP foi produzida na China e montada na Colômbia.

A estrutura desse veículo foi catalogada como instável, não sendo capaz de suportar impactos maiores. O motorista apresentava lesões de risco de vida na cabeça e no peito. O peito do passageiro mostrou compressão próxima do limite permitido. As lesões do motorista explicam a zero estrela e, portanto, o impacto lateral não foi realizado.

O Sail proporciona ancoragens ISOFIX para os sistemas de retenção infantil utilizados no teste que, combinados, oferecem uma proteção razoável às ocupantes crianças. Contudo, o sedã não conta com cintos de três pontos em todas as posições, impedindo que esse modelo ganhasse mais pontos. Organizações de defesa do consumidor da América Latina, entre as quais a PROTESTE Associação de Consumidores, estão pedindo aos fabricantes que produzam carros tão seguros quanto os europeus para o mercado latino-americano.

Vale lembrar que, desde janeiro de 2016, os requisitos do Latin NCAP são mais exigentes, para alcançar quatro ou cinco estrelas os modelos testados precisam contar com ESC. Os carros cinco estrelas são os que demostram um bom desempenho em impacto frontal, lateral, de poste e precisam ser aprovados nos testes ESC. Os veículos quatro estrelas têm que mostrar um bom desempenho em impacto frontal e lateral e passar no teste ESC. Todos os modelos devem ter um bom desempenho em impacto lateral, visando manter o mesmo nível proporcionado com o protocolo anterior.

Os carros que mostrarem rendimentos zero estrela nos testes de impacto frontal ou lateral terão um resultado total de zero estrela. O impacto lateral conta com sistemas de retenção infantil e dois dummies criança, como no teste de impacto frontal, avaliados com o objetivo de comprovar a proteção oferecida às crianças.

Fotos: Divulgação