Fim do mistério. Embora a Fiat ainda não tenha revelado a data de lançamento do Mobi, o novo compacto da marca foi flagrado sem nenhum disfarce em um lava-rápido (possivelmente de uma concessionária). As fotos foram cedidas aoCarsalepela página Car Club Brasil no Instagram.

O carro das fotos é uma unidade da variante aventureira Way, identificada pelo adesivo na tampa traseira, pelos racks no teto e pelas molduras nos para-lamas. Um detalhe que chama a atenção no modelo é a tampa traseira feita de vidro, como nos chineses Chery New QQ e Geely GC2. Um dos rivais do Mobi no mercado brasileiro, o Volkswagen up! utiliza o mesmo material na Europa, mas, devido aos custos de produção, a empresa alemã decidiu não adotar essa solução no Brasil.

O visual do Mobi remete ao do Uno, com silhueta quadradinha e cantos arredondados. O carro das fotos aparenta ter a suspensão um pouco mais elevada, além de pneus de uso misto e rodas de aro 14. A grade dianteira em black piano lembra a do Freemont, enquanto as lanternas são bem evidentes na traseira. A frente do hatch tem faróis estreitos que invadem as laterais, enquanto o para-brisa é mais verticalizado, dando impressão de maior robustez.

O nome, confirmado oficialmente nessas fotos, apareceu pela primeira vez em pedido de patente da Fiat, em dezembro do ano passado. O Mobi utilizará diversos itens já presentes na linha Fiat, visando baratear o seu custo de produção, indicando que o compacto deverá chegar com preço na casa dos R$ 30 mil na versão de entrada.

A expectativa para o lançamento era estrear no modelo o motor 1.0 de três cilindros que a Fiat está desenvolvendo, mas rumores da imprensa especializada asseguram que esse propulsor será lançado posteriormente no Uno. O Mobi será inicialmente equipado com o motor Fire de quatro cilindros de 1.0 litro flex de 75 cv e câmbio manual de cinco marchas, conjunto presente em outros modelos da marca.

É provável que o Mobi conviva com o Palio Fire, atual modelo de entrada da Fiat, enquanto houver demanda para o modelo veterano – vale lembrar que a fabricante só encerrou a produção do Mille por conta da obrigatoriedade dos airbags frontais e dos freios com ABS a partir de 2014.


Fotos: Car Club Brasil