O Honda Accord é um velho conhecido do mercado brasileiro (quem não se lembra das primeiras unidades da quarta geração que desembarcaram no país após a abertura das importações no começo da década de 1990?), mas é pouco lembrado entre os sedãs acima dos R$ 150 mil diante da concorrência predominada por modelos das alemãs Audi, BMW e Mercedes-Benz. Embora não transmita tanto status quanto os germânicos, o Honda compensa essa discrição com um motor V6, espaço interno e porte superiores, além de equipamentos ausentes na maioria dos rivais. Na linha 2016, anunciada no final do ano passado, o Accord tenta se destacar trazendo novidades estéticas e de conteúdo.

Similar em tamanho e motorização, o Toyota Camry (R$ 180.370) é o rival direto do Accord, com quem disputa a cada ano o título de sedã mais vendido dos Estados Unidos. Mas por aqui, o Honda corre o risco de vencer o desafio pela grande diferença de preços.

Disponível apenas na versão EX, que parte de R$ 156.300 (custava R$ 147.900 na linha 2015) e não oferece opcionais, o Accord tem como principais mudanças visuais o conjunto óptico frontal totalmente de LED (faróis alto, baixo e de neblina e iluminação diurna), combinado à nova grade dianteira e aos para-choques redesenhados. Na traseira, chamam a atenção as lanternas (também de LED) “conectadas” por uma barra horizontal cromada e o pequeno aerofólio sobre a tampa do porta-malas. As novas rodas de liga leve de 18 polegadas substituem o conjunto de aro 17 da linha 2015.

O acabamento interno também foi retocado. A cabine conta com apliques black piano (plástico preto brilhante) e imitação de madeira no painel. A central multimídia com tela tátil de 7,7 polegadas e compatível com as tecnologias Android Auto e Apple Car Play também é novidade. O equipamento é dotado ainda de GPS com informações do trânsito em tempo real (inicialmente apenas de Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo), entradas HDMI e USB (duas), DVD, Bluetooth e espelhamento de smartphones. Na linha 2016, a lista de itens de conforto e conveniência ainda foi reforçada pelos retrovisores com rebatimento elétrico, sensor de estacionamento dianteiro, banco traseiro bipartido (60/40), pedaleiras de alumínio e chave presencial com partida à distância (o recurso mantém o motor ligado por até 15 minutos e ajusta a temperatura do ar-condicionado de duas zonas em 22°C). De série, o Accord ainda traz sensor de chuva, faróis com acendimento automático, teto solar elétrico, bancos de couro, entre outros.

Sob o capô, o Accord manteve o bloco de 3.5 litros V6 i-VTEC a gasolina, que gera bons 280 cv de potência a 6.200 rpm e 34,6 kgfm de torque a 4.900 rpm e trabalha associado a uma caixa automática de seis marchas. Para conter o consumo de combustível, a Honda adotou um moderno sistema que desliga metade dos cilindros quando o motor é menos exigido (a baixas velocidades no trânsito urbano ou para manter o embalo em estradas, por exemplo).

O propulsor é apoiado sobre coxins eletro-hidráulicos que atenuam as vibrações provocadas pela alteração no funcionamento com apenas três cilindros.

IMPRESSÕES

Fabricado nos Estados Unidos, o Accord foi concebido para agradar o consumidor norte-americano. Essa característica pode ser observada na espaçosa e confortável cabine, capaz de acomodar cinco pessoas sem dificuldades. O acabamento do sedã agrada pelos materiais de boa qualidade e da montagem cuidadosa, mesmo sem grandes refinamentos. O conforto acústico é favorecido por um sistema que anula ruídos da cabine por meio de frequências emitidas pelos alto-falantes.

A posição ideal de dirigir é facilmente ajustada graças às regulagens elétricas, presentes nos dois bancos dianteiros. A partida do motor é feita por meio do botão no painel cujo visual sóbrio permite ao motorista memorizar os principais comandos do carro rapidamente.

Apesar do tamanho (4,91 metros de comprimento), o Accord tem um comportamento claramente voltado ao conforto, mas a sua tocada não é anestesiada como na maioria dos sedãs grandes. A direção elétrica tem respostas ágeis e as suspensões (independentes nas quatro rodas) garantem um rodar macio e ainda permitem ao condutor atacar curvas mais rápidas sem se preocupar com uma inclinação excessiva da carroceria (obedecendo os limites do carro, obviamente).

Durante o rápido teste-drive na estrada, o Accord mostrou a sua vocação de encarar longas viagens, proporcionando conforto aos seus ocupantes e bom desempenho. O motorzão V6 dá conta de empurrar os 1.632 quilos do sedã, aliando força e funcionamento suave. Silencioso, o propulsor aumenta o volume do seu belo ronco metálico ao elevar as rotações quando o câmbio automático é posicionado no modo esportivo ou as marchas são reduzidas na borboleta atrás do volante. Segundo os dados divulgados pela Honda dos Estados Unidos, o modelo acelera de 0 a 100 km/h em 7 segundos.

Como se espera de um carro de sua categoria, o Accord é equipado com um bom nível de equipamentos de segurança, como seis airbags, freios com ABS, controles eletrônicos de estabilidade e tração e assistente de partida em rampas. Mas o sistema LaneWatch, que monitora o ponto cego por meio de uma câmera no retrovisor do lado direito, comprova ser bastante útil na hora de mudar de faixa. Basta acionar a seta para que a imagem da lateral traseira direita seja projetada na tela do computador de bordo acima da central multimídia, dispensando o uso do espelho na maioria das manobras no trânsito.

O Accord 2016 está (bem) longe de ser barato, mas é uma opção a ser cogitada por quem tem cerca de R$ 160 mil para desembolsar em um carro. Muito bem construído, confortável e com bom nível de equipamentos (embora falte um freio de estacionamento elétrico), o Honda tem desempenho equivalente ao dos sedãs alemães equipados com motores de quatro cilindros turboalimentados, e ainda esbanja espaço interno superior. De acordo com a Honda, a meta é comercializar cerca de 120 unidades do modelo em 2016.

Teste-drive a convite da Honda
Fotos: Caio Mattos / Divulgação

Ficha técnica

Modelo
Honda Accord EX 3.5 V6
PreçoR$ 156.300
Motordianteiro, longitudinal, seis cilindros em V, 24 válvulas, a gasolina
Cilindrada (cm³)3.471
Potência280 cv a 6.200 rpm
Torque34,6 kgfm a 4.900 rpm
Freios dianteirosDiscos ventilados de 293 mm com ABS e EBD
Freios traseirosDiscos ventilados de 282 mm com ABS e EBD
Suspensão dianteiraIndependente, McPherson, molas helicoidais e barra estabilizadora
Suspensão traseiraIndependente, Multi-link, molas helicoidais e barra estabilizadora
RodasLiga leve de 18 polegadas
DireçãoElétrica
Peso em ordem de marcha (kg)1.632
Comprimento (metros)4,91
Largura (m)1,85
Altura (m)1,47
Distância entre-eixos (m)2,77
Tanque (litros)65
Porta-malas (litros)461
TransmissãoAutomática de seis velocidades
TraçãoDianteira