Embora as mudanças visuais sejam discretas, o Volkswagen Gol chega à linha 2017 de cara nova. Trata-se, na verdade, da segunda reestilização da quinta geração, lançada em 2008. Em termos de tecnologia, o compacto deixou o velho rival Fiat Palio para trás, aumentando a sua competitividade diante de Chevrolet Onix, Hyundai HB20 e Ford Ka, os seus novos concorrentes e atuais líderes de mercado. Uma das estratégias da Volkswagen foi adicionar ao Gol uma central multimídia mais moderna e completa que a dos rivais, oferecida como opcional.

RADIO E CENTRAL MULTIMÍDIA

Sem contar a versão de R$ 34.890, voltada para frotistas, o Gol Trendline parte de R$ 37.690 com trio elétrico, ar-condicionado e o rádio batizado de Media. Esse equipamento conta com entrada USB e conexão Bluetooth. O segundo modelo é o Media Plus, que ganha leitor de CD Player para as versões Comfortline.

Central multimídia de verdade como item de série, existe apenas na versão Highline com o sistema Composition Touch, que espelha smartphones através do protocolo Mirror Link e possui slot para cartão SD (pouco usual no Brasil). Como opcional é vendida a central Discover Media, essa sim com conexões mais completas, compatibilidade com Android Auto, Apple CarPlay e Mirror Link. Além disso, é possível conectar dois celulares através do Bluetooth.

NOVA MOTORIZAÇÃO

Outra medida adotada pela Volkswagen na linha 2017 do Gol foi substituir o motor 1.0 de quatro cilindros de 77 cv pelo moderno propulsor 1.0 de três cilindros da família EA211, mais eficiente em consumo e desempenho. O propulsor, que já equipa o Fox e o up!, gera 75 cv quando abastecido com gasolina e 82 cv com etanol. Segundo a Volkswagen, o consumo de combustível do Gol foi reduzido em 12% com o combustível fóssil e 10% no uso do derivado de cana-de-açúcar.

Essa troca de motor fez bem ao Gol (e também ao Voyage), que ficou mais esperto, principalmente em baixas rotações. Isso é explicado pela melhor distribuição do torque. Apesar de uma pequena redução no torque em relação ao motor 1.0 de quatro cilindros, de 10,6 kgfm para 10,4 kgfm, no bloco tricilíndrico 85% da força é entregue a 2.000 rpm, facilitando arrancadas e retomadas. Outra melhoria mecânica está na transmissão (que já era elogiável), agora com engates mais suaves e precisos, graças aos ajustes promovidos pela engenharia da Volks.

Apesar de a Volkswagen ter em seu portfólio o motor MSI 1.6 de 16 válvulas de 120 cv (presente no Fox, Golf nacionalizado e Saveiro), ela decidiu manter no Gol e no Voyage o já conhecido VHT 1.6 de oito válvulas, que gera até 104 cv com etanol. Em termos de desempenho, não há mudanças. O propulsor garante comportamento satisfatório para a proposta do Gol, com respostas ágeis principalmente no uso urbano.

Independentemente da motorização, a dirigibilidade do Gol continua sendo uma das melhores do segmento. A ergonomia foi melhorada com adoção do novo volante, idêntico ao do Golf, e do painel reestilizado. No entanto, apenas a versão topo de linha Highline (tanto no Gol como no Voyage) conta com ajuste de altura e profundidade da coluna de direção. Contudo, o novo interior passa a impressão de que o Gol pertence a uma categoria superior por conta da montagem cuidadosa das peças e da utilização de apliques que imitam metal nas configurações mais caras.

A Volkswagen diz que o “Gol está de volta”, mas a verdade é que ela apenas correu atrás do prejuízo provocado pela perda da liderança do mercado nacional em 2014. A marca aposta na história do modelo e até cita o custo-benefício para recolocá-lo no posto de carro mais vendido do Brasil. A fabricante diz que os preços estão 2,5% inferiores, deixando o Gol mais barato que os rivais quando comparados com os mesmos equipamentos.

Confira abaixo os preços e equipamentos da linha Gol:

  • Trendline 1.0 – R$ 34.890 (R$ 37.690 com ar-condicionado) 1.6 – R$ 40.190: freios ABS (antitravamento), EBD (distribuição eletrônica de frenagem) e alerta de frenagem de emergência; airbags frontais; alerta sonoro de faróis acesos; banco do motorista com ajuste de altura; direção hidráulica; encosto do banco traseiro rebatível; preparação para sistema de som; rodas de aço aro 14 com pneus 175/70 e calotas; trava e vidros elétricos dianteiros.
  • Comfortline R$ 42.690 1.6 – R$ 47.490 (I-Motion – R$ 50.790):acrescenta ar-condicionado; computador de bordo; repetidores de seta nos retrovisores externos; faróis de neblina; iluminação no porta-malas; rodas de aço aro 15 com calotas; infotainment Media Plus; quatro alto-falantes e dois tweeters; tampa do porta-malas com abertura elétrica.
  • Highline 1.6 – R$ 51.990 (I-Motion – R$ 55.290):adiciona sistema de alarme com comando remoto; sensor de estacionamento traseiro; luzes de leitura dianteiras e traseiras; chave tipo canivete com comando remoto; coluna de direção com ajuste de altura e profundidade; espelhos retrovisores externos elétricos com função tilt down no lado direito; faróis e lanterna traseira de neblina; lanternas traseiras escurecidas; rodas de liga leve aro 15 com pneus 195/55; infotainment Composition Touch; rede no porta-malas; volante multifuncional em couro com comando de sistema de som e do computador de bordo; shift paddles se equipado com o câmbio robotizado I-Motion.

Confira os preços da linha Voyage (os equipamentos são os mesmos do Gol):

  • Trendline 1.0 – R$ 40.990 – 1.6 – R$ 44.590
  • Comfortline 1.0 – R$ 46.690 1.6 – R$ 49.490 (I-Motion – R$ 53.090)
  • Highline 1.6 – R$ 55.290 (I-Motion – R$ 58.590)

Teste-drive a convite da Volkswagen
Fotos: Divulgação