A década de 1960 viu nascer um dos maiores mitos automotivos do planeta. O Ford Mustang atingiu um número expressivo de vendas ainda em sua primeira geração e se tornou um símbolo de sucesso e amplas possibilidades para os compradores, já que podia ser encomendado em centenas de combinações distintas.

No Brasil tivemos o similar, em termos, da Ford. O Corcel I chegou por aqui em 1967 e trazia elementos em comum com o primo rico. O nome também é alusivo a uma raça de cavalo, cujo símbolo também marcava presença na grade, além do desenho de curvas suaves.

O exemplar da matéria traz todos esses elementos e um estado de conservação que não vemos todos os dias. Cada detalhe demonstra originalidade máxima. E, na hora de guiar, ele mostra algumas das qualidades que o tornaram um grande sucesso de vendas por aqui. Nos vemos na semana que vem!

Renato Bellote é jornalista automotivo em São Paulo, redator da Revista Driver e editor-chefe da Garagem do Bellote TV. Sua paixão por carros começou no dia em que saiu da maternidade a bordo de um Dodge Charger R/T. (www.garagemdobellote.com.br)