Carnaval é a festa que permite às pessoas serem quem elas quiserem graças às fantasias e máscaras criadas especialmente para esta época do ano. No mundo automotivo, adereços estéticos também são utilizados para que alguns carros aparentem ser algo um pouco diferente do que eles realmente são. E o caso mais comum pode ser visto nos aventureiros urbanos, cuja tendência foi lançada em 1999 na perua Fiat Palio Weekend Adventure.

O estilo inspirado em veículos com aptidão off-road caiu no no gosto popular de modo que praticamente todas as marcas possuem um modelo “aventureiro” atualmente. Se há 17 anos esse visual era limitado a peruas e picapes pequenas, hoje em dia até mesmo compactos de entrada carregam essa roupagem.

Além do veterano CrossFox, lançado em 2005, no portfólio da Volkswagen do Brasil há outras duas opções de compactos fantasiados de aventureiros: cross up! (R$ 46.150) e Fox Track (R$ 46.990), ambos movidos pelo motor 1.0 de três cilindros da família EA211. Veja em nosso comparativo qual deles levou vantagem na apuração dos votos e é capaz de fazer mais bonito nas avenidas (e ruas).

Quesito Fantasia

Fox Track – Nota: 9.0
Cross up! – Nota: 8.5

O Fox é um hatch mais “altinho”. O visual aventureiro começou a fazer sucesso com o CrossFox, embora encareça demasiadamente o compacto. Na versão Track, a fantasia mais sóbria (combinada à reestilização inspirada no novo Golf) caiu bem no Fox, deixando-o até mais atraente que o CrossFox, uma vez que não utiliza o indiscreto e pouco prático estepe pendurado na tampa do porta-malas.

No caso do cross up!, a fantasia off-road também não é das mais ousadas, mas alguns detalhes, como os apliques prateados no centro dos para-choques destoam do resto do carro, principalmente se a carroceria tiver uma pintura mais escura. As rodas de liga leve de 15 polegadas, no entanto, são as mais bonitas da linha up!. As versões convencionais combinam mais com as linhas minimalistas do pequenino da Volks.

Quesito Desempenho

Fox Track – Nota: 8.5
Cross up! – Nota: 9.0

O motor de três cilindros de 1.0 litro gera 75/82 cv de potência e 9,7/10,4 kgfm de torque (gasolina/etanol) a 3.000 rpm e entrega desempenho bastante satisfatório aos dois compactos. O cross up!, entretanto, leva uma pequena vantagem em acelerações por ser mais leve e ter aerodinâmica mais favorável. Mas isso não quer dizer que o Fox Track seja um carro lento ou ruim de guiar. Para o uso majoritariamente urbano, ambos são bastante ágeis e práticos.

Quesito Espaço interno

Fox Track – Nota: 9.5
Cross up! – Nota: 7.5

Neste quesito não há discussão. O Fox fez a sua fama muito em função das dimensões internas generosas para um compacto. Quatro ocupantes viajam com bom espaço para as pernas e cabeça. Já o up! é um carro concebido para o uso urbano, porém, adaptado para o mercado brasileiro. Mesmo com essas modificações, ele perde de lavada para o Fox.

Quesito Equipamentos

Fox Track – Nota: 9.0
Cross up! – Nota: 8.5

Os dois têm basicamente os mesmos equipamentos de série: ar-condicionado, direção elétrica, vidros elétricos, travas e retrovisores elétricos, faróis de neblina, chave do tipo canivete e volante com ajuste de altura. Mas a principal diferença está na conectividade. Enquanto o cross up! conta com apenas um rádio comum, com entrada USB e Bluetooth, o Fox Track vem de série com uma central multimídia com espelhamento de smartphones por meio do sistema Mirror Link. Esse equipamento não está disponível para o cross up! nem como opcional.

Quesito Preço

Fox Track – Nota: 9.0
Cross up! – Nota: 8.5

Partindo do princípio que nenhum deles cobra o preço que imaginamos que deveriam cobrar – como praticamente todo carro vendido no Brasil -, o Fox Track mostra que é um negócio mais vantajoso por trazer uma central multimídia moderna e espaço interno superior por uma diferença de apenas R$ 840. O cross up!, no entanto, traz um projeto mais moderno e pode ser considerado a opção de compra a quem não precisa de tanto espaço e se importa com uma dirigibilidade mais acertada.

Fotos: Renan Rodrigues