A febre de SUVs é tendência mundial, tanto que o segmento foi o mais vendido na Europa em 2015. O sucesso desse tipo de veículo é tão grande que marcas tradicionais, famosas por fabricar modelos esportivos e de luxo, como Lamborghini e Rolls-Royce, também já trabalham no desenvolvimento de seus primeiros utilitários esportivos. Essa tendência, porém, não deverá se repetir com a Ferrari, segundo Sergio Marchionne, CEO da Fiat Chrysler Automobiles (FCA), conglomerado automotivo dono da marca italiana.

Questionado sobre os planos da Ferrari no segmento de SUVs de luxo, Marchionne respondeu de maneira categórica: “Terão de atirar em mim primeiro”, deixando claro que um utilitário não fará parte do portfólio da marca. Durante o Salão de Paris de 2014, o executivo já havia declarado que a Ferrari produzirá apenas “esportivos de duas portas e não SUVs ou modelos de quatro portas”.

Vale lembrar que a Ferrari pretende ampliar para 9.000 unidades anuais a sua produção até 2019. Para 2016, a meta é vender 7.900 carros. A atual linha de produtos da marca é formada pelos modelos 488 GTB, 488 Spider, F12 Berlinetta e California T.