De acordo com um levantamento feito pela Ituran (empresa especializada em rastreamento de veículos), em 2015, o número de furtos e roubos de automóveis na Grande São Paulo e na Baixada Santista aumentou 12% em comparação com o ano anterior. Foram 800 ocorrências por mês, em média.

Com base em aproximadamente 400 mil veículos monitorados, a empresa aponta que o Fiat Palio foi o modelo preferido pelos ladrões, seguido por Volkswagen Gol, Fiat Uno, Volkswagen Fox, Fiat Siena, Chevrolet Celta, Ford Fiesta, Volkswagen Voyage, Chevrolet Corsa e Fiat Strada, na ordem.

Modelos fabricados 2010 a 2016 representam a grande maioria dos casos de furtos e roubos (66%), enquanto veículos 2007 a 2009 (18%), 2004 a 2006 (7%), anteriores a 2001 (5%) e 2001 a 2003 (4%) completam o registro.

Os carros de cor prata aparecem em 27% das ocorrências, à frente de veículos nas cores preta (24%), branca (19%), cinza (12%), vermelha (11%) e outras tonalidades (7%).

Já a maior incidência de furtos e roubos ocorreu na quinta-feira (16,6%). Quarta-feira (15,6%), terça-feira (15,4%), sexta-feira (14,4%), domingo (13,2%), sábado (12,6%) e segunda-feira (12,5%) vêm na sequência.

Segundo o estudo da Ituran, o período das 21h às 23h teve o maior número de casos (20,1%), seguido pelos seguintes horários: das 18h às 20h (18,4%), das 12h às 14h (16,1%), das 15h às 17h (13,8%), das 9h às 11h (13,3%), das 6h às 8h (8,4%), 0h às 2h (6%) e das 3h às 5h (3,9%).

Na Grande São Paulo, o bairro de Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, lidera o ranking de ocorrências. Em seguida, vêm São Mateus, Guaianases, Tatuapé, Ipiranga, Itaim Paulista, Vila Prudente, Penha, São Miguel e Sapopemba.

Já as vias mais perigosas são a Avenida Jacu Pêssego, Avenida Sapopemba, Avenida Ragueb Chohfi, Marginal Tietê, Rodovia Fernão Dias, Avenida Aricanduva, Avenida Marechal Tito, Estrada do M’Boi Mirim, Avenida São Miguel e Avenida Itaquera.

Foto: Divulgação