Vale a pena contratar um seguro automotivo? A questão é complexa e exige que o consumidor pondere quando poderá ter que gastar caso se envolva em um acidente, batida ou tenha algum tipo de prejuízo com o carro. Para quem não quer enfrentar dores de cabeça no futuro, a contratação de um seguro é sempre a melhor opção.

Por outro lado, o que se sabe atualmente é que apenas 25% dos automóveis da frota brasileira possuem esse tipo de proteção, de acordo com o mais recente relatório de frota do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). O percentual para motos seguradas é ainda menor: 10%, de acordo com as entidades do setor.

De olho no nicho de proprietários de veículos e motos que não possuem esse tipo de proteção, algumas empresas estão lançando alternativas em termos de serviços. Uma delas é o AllianzHelp, que oferece apenas auxílio para situações de emergência e portanto tem um valor mais em conta que o seguro tradicional. Nesse sistema, o cliente tem a possibilidade de adquirir tanto serviços de assistência sob demanda (emergenciais) como planos anuais para carro ou moto. O produto completo conta com reboque em caso de acidente/pane; recuperação do veículo em caso de acidente/pane; chaveiro; troca de pneus; remoção médica e traslado; meio de transporte alternativo; hospedagem; envio de pessoa da família em caso de hospitalização e assistência funeral.

E quando o assunto são os gastos com o carro, vale ressaltar que levantamentos apontam que ter um carro, mesmo que popular, pode custar mais de R$ 10 mil por ano entre despesas com seguro, IPVA, manutenção, estacionamento, lavagens e outros. Portanto,confira aqui cinco dicas você economizar com as despesas do seu veículo.

Quer saber mais sobre seguro? Acesse aqui.

Veja também: