A visibilidade é um dos principais fatores de segurança em um automóvel. Embora os carros mais modernos sejam equipados com diversos recursos eletrônicos destinados a evitar acidentes, a ação de evitar situações indesejadas ainda depende do motorista – que necessita enxergar a maior área externa possível para saber o que acontece ao redor do veículo.

O CESVI Brasil (Centro de Experimentação e Segurança Viária) fez um estudo que compara diferentes posições dos espelhos retrovisores interno e externos de automóveis e motocicletas para indicar qual é a regulagem que vai proporcionar a melhor visão da área externa do veículo.

Posições do retrovisor externo que foram estudadas

– Regulagem 0% (posição recomendada): o espelho retrovisor lateral fica posicionado no limite do último ponto visível da carroceria do automóvel – o veículo não aparece na imagem refletida pelo espelho.

– Regulagem 10% (posição mais comum): esta posição simula a situação em que o motorista posiciona o espelho em 0% (regulagem descrita anteriormente) e, ao ver a ponta do veículo no espelho, inclina levemente para enxergar um pouco mais da carroceria, chegando perto dos 10% da largura total do espelho.

– Regulagem 20% (não recomendada): o motorista regula o espelho lateral para enxergar grande parte da carroceria do veículo, visualizando até próximo à maçaneta – e consequentemente, reduzindo a área visível da via.

Alguns dados obtidos no estudo; áreas não visíveis pelo motorista

– Hatch compacto: ao regular o espelho na posição 20% (enxergando próximo à maçaneta da porta dianteira), o condutor tem uma perda de visibilidade de aproximadmente 40% no espelho retrovisor do lado esquerdo e 34% no do lado direito.

Análise de regulagem do espelho retrovisor interno

Também foi analisada a situação na qual o espelho interno foi deslocado até que o assento do banco traseiro ficasse visível, simulando a situação em que o motorista deseja observar crianças pudessem estar acomodadas na parte de trás do veículo. Ao regular o espelho nessa posição, a visibilidade traseira ficou limitada: o último ponto de visualização foi a 27,10 metros de distância do veículo. Levando em consideração que um automóvel que trafega a 120 km/h percorre 133 metros em quatro segundos, essa visibilidade limitada afeta diretamente na visualização de outros veículos na via.

Motocicletas

Muitas vezes, o motociclista inverte a posição dos espelhos da moto, deixando-os na vertical. Isso reduz a largura total da motocicleta, facilitando a passagem entre os carros no trânsito. Por outro lado, esse posicionamento reduz em 39% a visibilidade do lado esquerdo e em 27% do lado direito.

Conclusões

É imprescindível a regulagem correta de todos os espelhos retrovisores. No caso dos laterais, deve-se visualizar o mínimo possível da lateral do veículo, chegando o mais próximo possível da regulagem a 0%. Caso contrário, a visibilidade do motorista fica prejudicada, podendo ser um fator preponderante na hora de evitar um acidente.

No caso das motocicletas, não é recomendado utilizar os espelhos na posição vertical, pois o motociclista perderá uma área expressiva de sua visibilidade.

Fotos: Divulgação e Motor Autorithy