A McLaren anunciou que chegou ao fim a produção do superesportivo P1. Todas as 375 unidades foram vendidas. A fabricação do modelo inciou em 2013, sendo que o primeiro exemplar foi um prata ice, presente nas fotos abaixo ao lado de uma versão laranja perolado, que marca o final da montagem.

Cada um dos 375 carros levou, em média, 17 dias para ficar pronto. E, além das unidades de produção, a McLaren construiu 13 protótipos experimentais, 5 protótipos de validação e 3 carros de pré-produção. 105 pessoas trabalharam em cada carros, sendo que a oficina de pintura aplicou de 5 as 8 litros de tinta base e 8 a 9 litros de verniz em cada carro.

O superesportivo tem 1,94 metro de largura, 4,58 metros de comprimento e 1,18 metro de altura, rodas de 19 polegadas na frente e de 20 polegadas no eixo traseiro. A cor mais popular foi o amarelo vulcano. Durante os testes, o P1 percorreu mais de 620 mil quilômetros, ou seja, mais de 15 voltar ao redor da terra. Dos 375 carros, 34% foram vendidos para clientes nas Américas, 26% aos europeus, 13% para os compradores do Oriente Médio e África, e 27% para os clientes da região da Ásia-Pacífico.

Embaixo do capô o carro possui um bloco biturbo de 3.8 litros V8 produz 737 cv e 73,4 kgfm de torque. Além disso, há um segundo motor, elétrico, que despeja mais 178 cv e 26,5 kgfm ao conjunto. Sendo assim, o carro tem no total 915 cv e 99,9 kgfm de força, que fazem este carro acelerar de 0 a 100 km/h em menos de 3 segundos, de 0 a 200 km/h em menos de 7 s e de 0 a 300 km/h em não mais que 17 segundos. A velocidade máxima foi limitada eletronicamente em 350 km/h.